Menu da Rede

toinho

Toinho nos deixa, mas sua Melodia fica para sempre

  • Capa
  • Sem terra
  • PM de Goiás ataca e realiza despejo contra famílias sem terra

Luta pela terra

PM de Goiás ataca e realiza despejo contra famílias sem terra

Trabalhadores do assentamento Oziel Alves, em Goiás, sofrem com violência policial e ameaça de despejo

trabalhadores protestando contra a reintegração de posse criminosa – Foto: MST

Receba o DCO no Email

Famílias do acampamento Oziel Alves, em Goiás, encontram-se ameaçadas desde a última quinta-feira (22). No local, mais de 35 famílias sofrem ameaça de despejo tendo, inclusive, duas casas de sem terras derrubadas pela força policial que age com violência.

Os sem terras denunciam que a tal ordem de despejo aconteceu sem nenhum tipo de comunicação anterior. Os moradores do local foram pegos de surpresa e se surpreenderam com o mandado de reintegração de posse em plena pandemia. 

Foi a mobilização das famílias e apoio de organizações populares que foi possível parar o despejo criminoso momentaneamente. No entanto, a justiça afirmou que a ação criminosa será retomada nesta quinta-feira (29) e, conforme colocado pela Polícia Militar, quem continuar no local poderá ser preso.

Tais famílias vivem e trabalham nessa terra desde 2017 e seguem sendo referência na produção de alimentos. Segundo a advogada dos moradores, a ação apresenta irregularidades já que, teoricamente, todo acusado deve ter a possibilidade de se defender em um processo. Sem contar na realidade da pandemia. Um despejo nesse período é deixar famílias a própria sorte sem nenhum tipo de assistência. 

Nesse momento, o processo sobre o acampamento se encontra sobre poder do juiz Fábio Cristóvão de Campos Faria.

Outra informação fornecida pelo MST é que a terra seria motivo de interesse nos anos de 1980 do Banco do Brasil. O antigo proprietário das terras teria adquirido dividas com o banco e, dessa forma, a cobrança estava sendo feita através da requisição das terras. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) e o Banco do Brasil estariam em diálogo sobre uma proposta para destinar a terra para Reforma Agrária. Processo impedido com a eleição de Jair Bolsonaro em 2018. 

Atualmente o INCRA e demais instituições do Estado atuam de acordo com a agenda bolsonarista e, mais do evidente, que nesse atual governo os únicos beneficiados serão os grandes proprietários e latifundiários. Por isso, os trabalhadores do campo e da cidade devem continuar o processo de mobilização. A postura dos assentados do acampamento Oziel Alves em convocar organismos populares para somarem com eles na luta é muito positiva e deve continuar.

Para além disso, é importante a criação de comitês de auto defesa. Em uma situação totalmente criminosa como foi essa ordem de despejo, os trabalhadores do campo necessitam de instrumentos para se defender a altura.  

 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.