Menu da Rede

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

  • Capa
  • Sem terra
  • Em mais uma ofensiva, PM prende 30 camponeses da LCP

Rondônia

Em mais uma ofensiva, PM prende 30 camponeses da LCP

Forjando provas, invadindo casas, violentando e prendendo camponeses, PM toca terror em acampamento rondoniense.

Liga dos Camponeses Pobres(LCP) – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

A Polícia Militar de Rondônia prendeu ilegalmente mais de 30 camponeses da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) no dia 17 de novembro. Comandada pelo governador fascista Marcos Rocha (PSC), a ação da milícia do Estado fez essa ação no Acampamento Escurão, localizado no Lote 32, Gleba de Corumbiara, na cidade de Pimenta Bueno, uma área de atuação da Liga dos Camponeses Pobres. A falsa acusação contra os camponeses é de terem sido responsáveis pela morte do latifundiário Heladio Cândido Senn, o “nego Zen”, mas o autodeclarado autor do crime já havia se entregado na delegacia de Vilhena logo depois do crime.

Essa ação da PM em criminalizar os camponeses, que são as maiores vítimas dos conflitos de terra com os grileiros, faz parte do projeto em vigor no país de preparar uma grande guerra contra os camponeses e contra qualquer política de reforma agrária.

Não há nenhum indício de que o latifundiário Heladio Senn tenha sido assassinado pelos camponeses. Preso uma vez em 2014, o “nego Zen” é conhecido por praticar diversos crimes contra os próprios latifundiários, com práticas de grilagem de terras públicas, pistolagem, roubo de gado de outros fazendeiros e sequestro de trabalhadores.

Após diversas e ameaçadoras incursões da PM no acampamento, com as participações da Guarnição de Força Tática e o Núcleo de Inteligência das polícias de Vilhena e Pimenta Bueno, a polícia prendeu homens, mulheres, crianças, destruíram casas, roubaram motosserras e espancaram moradoras do local, uma verdadeira ação terrorista.

Levados arbitrariamente a uma Unidade Integrada de Segurança Pública de Vilhena, os camponeses foram interrogados pelo delegado Núbio Lopes, da Delegacia de Homicídios.

Mesmo com o provável autor do crime já ter ido depor, o grande aparato criminoso armado pelos milicianos do estado de Rondônia saiu com o  objetivo de praticar o terror, a violência e prender os 30 camponeses, além de roubar deles suas armas de caça, trabalho e autodefesa. Cinicamente, os policiais ainda disseram que as armas eram do morto. Todos esses crimes continuam impunes, à revelia das leis, estas que só são aplicadas na classe trabalhadora para oprimir e encarcerá-la.

Essa prática de forjar “provas” de crime contra os camponeses é uma ação criminosa muito comum realizada pela polícia. Na mesma região dessa ação terrorista, em Santa Elina, no Acampamento Manoel Ribeiro, os policiais prenderam quatro camponeses que  ainda estão em cárcere privado até hoje, segundo a Liga dos Camponeses Pobres.

Sem qualquer indício de crime praticado por qualquer um dos 30 camponeses, a justiça burguesa, a serviço desses latifundiários e milícias criminosas, nada fez para impedir essas barbaridades e serão lenientes até quando não der mais. Já a população que apoia os camponeses levou alimentos e deu todo apoio às vítimas dessa ação criminosa da polícia.

Com a chegada de Bolsonaro ao poder e de outros fascistas ao governo do Estado, como em Rondônia, a violência e crime contra os camponeses têm aumentado exponencialmente, como esse Diário Causa Operária vem denunciando. A LCP mesmo virou um dos principais alvos dos latifundiários e milícias policiais do estado.

É preciso libertar de imediato todos os camponeses, organizar os comitês de autodefesa e continuar a luta pelo fim de todos os aparatos de segurança civil e militar do estado, pois ambos estão a serviço dessa política criminosa de assassinar e prender camponeses e evitar de todas as formas a luta pelo fim do latifúndio, pelo direito à terra e pela Reforma Agrária.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.