Menu da Rede

Padre Júlio Lancellotti denuncia política criminosa da prefeitura

  • Capa
  • Sudeste
  • Trabalhadores da Cemig fazem greve por tempo indeterminado

Minas Gerais

Trabalhadores da Cemig fazem greve por tempo indeterminado

Governador mineiro, bolsonarista Romeu Zema travou negociação e se recusa a reajustar os salários dos servidores

Acordo – Reprodução

Receba o DCO no Email

─ CUT ─Sem acordo com o governador Romeu Zema (Novo), que travou a negociação de renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Energética em Minas Gerais (Sindieletro-MG), os servidores estão em greve por tempo indeterminado desde esta segunda-feira (29).

Na tarde de ontem, dezenas de militantes de movimentos sociais que apoiam a greve se uniram aos trabalhadores e ocuparam o saguão da sede da Cemig, em Belo Horizonte (MG), onde permanecem. A ocupação vai ter duas turmas, uma durante o dia e outra à noite, diz nota no site do Sindieletro-MG.

O objetivo da ocupação é denunciar os ataques do governo Zema aos direitos dos trabalhadores, que reivindicam reajuste sobre salários e benefícios com base na variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Eles denunciam também o desmonte da estatal, que é um dos primeiros passos rumo à privatização, no mesmo estilo do governo do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL): desmonta para vender barato.

Os manifestantes, ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) reivindicam a redução dos preços da tarifa de energia.

A direção da Cemig diz que só volta a negociar após a desocupação do local.

Negociação nesta segunda não teve acordo

Após a greve ser deflagrada, a direção da Cemig chamou a direção do Sindieletro-MG para negociar o fim da paralisação da categoria. A reunião terminou à noite sem acordo entre as partes porque a estatal continua se recusando a aceitar a proposta de reajuste superior a 11% sobre salários e benefícios pagos aos trabalhadores.

Antes da reunião, no início da tarde, os sindicalistas fizeram um ato em frente ao edifício da Cemig, no Anel Rodoviário.

Nesta terça-feira mais uma ação está marcada em frente ao prédio, a partir das 10 horas da manhã. 

O coordenador geral do Sindieletro-MG, o Emerson Andrada, disse em entrevista a jornais locais que o reajuste do salário é a principal reivindicação dos trabalhadores, mas também tem pontos importantes como a garantia da segurança sanitária dos trabalhadores frente a pandemia e o tratamento isonômico para trabalhadores investigados.

Ele quer que todos seja tratados como o presidente da Cemig, Reynaldo Passanezi, investigado pela CPI da Cemig, que consegue se manter no cargo durante o processo de investigação.

Segundo o dirigente, quando um trabalhador é investigado, é afastado do cargo até que o processo de investigação termine o que não aconteceu com o presidente da empresa.

Pauta de reivindicações dos trabalhadores:

A pauta da categoria tem 34 itens e a Cemig não negociou nenhum deles. “Pelo contrário, a Cemig apresentou-nos uma contrapauta e nesse documento a Cemig retira de nós uma série de direitos, uma série de conquistas construídas ao longo dos quase 70 anos de existência da Cemig e da categoria eletricitária”, afirmou Emerson Andrada. 

Os trabalhadores da Cemig reivindicam manutenção das conquistas anteriores, recomposição salarial de acordo com a variação do INPC para o período de 1º de novembro de 2020 a 31 de outubro de 2021, aumento real sobre os salários reajustados pelo INPC, reajuste dos itens econômicos e outros itens. Confira aqui a pauta completa.

Compromisso com o povo

Apesar da greve, os servidores vão atender ocorrências de urgência, de acordo com o dirigente. “O Sindieletro tem responsabilidade com a sociedade de garantir a continuidade e a qualidade do fornecimento de energia elétrica para a população mineira, de modo que as urgências e emergências permaneceram atendidas”.

Quanto aos serviços de rotina, Emerson disse que   serão interrompidos e o atendimento passa a ser obrigação exclusiva da empresa.

CPI da Cemig

A Cemig é alvo de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) conduzida pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que investiga decisões tomadas entre 2019 e este ano pelo presidente da empresa, Reynaldo Passanezi Filho, como contratos assinados sob dispensa de licitação e negociações de patrimônios vinculados à estatal mineira. Em janeiro deste ano, a Cemig vendeu, por R$ 1,37 bilhão, a fatia que detinha na Light, companhia de luz que atua no Rio de Janeiro. Em 2019, quando ainda estava vinculada à Cemig, a Light negociou, pelo valor simbólico de R$ 1, suas ações na Renova, que atua com fontes energéticas renováveis.

O que é Acordo Coletivo de Trabalho 

O Acordo Coletivo é um instrumento firmado após negociação entre uma ou mais empresas e a entidade sindical que representa os trabalhadores. Ele estabelece reajuste salarial, benefícios, condições de trabalho e outros itens que valem só para os trabalhadores desta empresa. Na maioria das vezes, esse acordo serve para resolver alguma situação conflitante e, para isso, é realizado a negociação.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.