Menu da Rede

20211024150250 1635096648042 1 1 (1)

Cristiano Ronaldo chuta jogador. E se fosse Neymar?

  • Capa
  • Cidades
  • Professores denunciam volta às aulas genocida de Doria

Greve Sanitária

Professores denunciam volta às aulas genocida de Doria

Longe do fim da Pandemia João Dória autoriza 100% de aulas presenciais e cada um que se proteja como pode.

O Farsante João Dória se veste de Gari (2016) para parecer um trabalhador em frente as câmaras de sua campanha eleitoral – Ale Vianna/Eleven

Receba o DCO no Email

Os Trabalhadores da Educação sem dúvida conhecem bem a realidade das Escolas Públicas no Estado de São Paulo mas a Secretaria de Educação (SEDUC) do Governo Estadual não deu ouvidos a eles quando disseram que o retorno às Escolas não era seguro. Os especialistas em epidemias da Fundação Oswaldo Cruz também criticaram a política frouxa e ineficaz do Governador João Dória no combate a contaminação pelo Coronavirus no Estado. Mas a preocupação com o comércio e os indicadores econômicos não permitiram priorizar o enfrentamento ao problema de saúde pública. A partir desta semana as Escolas de São Paulo estão autorizadas a voltar com 100% das atividades presenciais desde que cumpram os protocolos sanitários.

Os protocolos são uma grande farsa que faz parecer que alguma coisa está sendo feita para garantir um retorno seguro. Isto não é verdade. Tanto que a maior parte dos pais decidiu não mandar seus filhos de volta à Escola. A SEDUC enfatiza 3 pontos principais nos protocolos: o distanciamento de 1 metro entre os alunos, o uso de máscaras e o uso de álcool-gel. Isto é simplesmente o mínimo que cada um que sabe os riscos da pandemia tem feito para se proteger desde o início da Pandemia. Cada um usa máscara como pode, confortável ou não, de pano ou descartável, com vedação lateral, no queixo, na testa… Não importa, desde que todos estejam de máscara. Higienizar a mão com álcool-gel garante que caso você encoste em algum lugar contaminado sua mão estará limpa, mas todos dizem que o vírus se propaga pelo ar. Então ficamos a 1 metro de distância.

As escolas que não conseguirem cumprir esse protocolo ridículo, que não garante nada, poderão fazer um retorno escalonado ou com revezamento de turmas e ainda manter o ensino remoto de forma híbrida. O Trabalhador também deve ser híbrido, porque ele vai organizar atividades presenciais enquanto corrige atividades online, e preenche os relatórios sem fim que a administração estadual exige deles para produzir os números nas planilhas que são os únicos capazes de garantir um ensino de qualidade.

Uma pesquisa do Instituto Vox Populi, divulgada na sexta-feira, 29 de julho, demonstrou que 85% dos professores e 75% dos estudantes temem contrair a Covid-19 nas escolas. Segundo um levantamento da APEOESP, foram mais de 2726 casos de contaminação e 105 óbitos de professores, funcionários e estudantes nas Escolas Estaduais. Isto durante um período em que grande parte das Escolas fazia rodízio e a maioria dos Estudantes estavam acessando as atividades remotas. Como a maioria que vive esta realidade resolveu aguardar, alguns pais já estão reclamando que os professores não estão mais presentes nas atividades remotas, é óbvio que se está trabalhando presencialmente não poderá dedicar mais ao Ensino Remoto como antes, esta contabilidade os gestores da Educação não fizeram, porque gradativamente esperam empurrar todos de volta às escolas, mesmo que custe a vida de alguns.

A Professora Bebel, Presidente da APEOESP, pergunta por quê não esperar que pelo menos os professores se vacinem, tomando a segunda dose da vacina e aguardando os 14 dias para que a imunização se complete. Cerca de 44% dos Professores cumpriram esse processo, será que não seria possível aguardar mais um pouco?

Mesmo com os Trabalhadores da Educação imunizados, os Estudantes não estariam vacinados e poderiam transmitir a doença para seus familiares, lembrando que a maioria das crianças são assintomáticas e quando contraem a doença aparentam um leve resfriado. Será que não há nada a ser feito para que o retorno seja mais seguro e o Governador João Dória se preocupa tanto assim com a Educação dos paulistas? Aqui precisamos deixar claro que a única preocupação do candidato é com as próximas eleições no ano que vem. Tudo que o PSDB tem feito por aqui é tentar ocultar que São Paulo é o Campeão Nacional de óbitos e contaminações por COVID-19 no país, enquanto fingem combater Bolsonaro e produzir uma farsa 2.2 da última eleição a Prefeitura de São Paulo. Agora o João “Trabalhador” promete se fantasiar de João “Vacinador”, custe o que custar.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.