Assista ao Resumo do Dia ao vivo

Destruição da empresa

Trabalhadores da EBC aprovam greve a partir desta sexta

No Rio de Janeiro, assembleia decidiu por unanimidade, após proposta que retira direitos e propõe reajuste falso

Votação entre trabalhadores decidem a intervenção – Divulgação

Receba o DCO no Email

CUT –

Jornalistas e radialistas da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) expostos à exploração, assédio e retirada de direitos decidiram entrar em greve a partir da zero hora desta sexta-feira (26).

A decisão foi tomada em assembleias simultâneas realizadas na terça-feira (23), no Rio de Janeiro, em Brasília e em São Paulo. No Rio, os trabalhadores e trabalhadoras se reuniram em frente ao prédio da TV Brasil, no Centro.

Criada em 2007 no governo Lula para prestar serviços de radiodifusão pública e gerir as emissoras de rádio e televisão públicas federais, a EBC se transformou em uma empresa do governo da ocasião, com mudanças na programação para atender a ideologia de extrema direita do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL) e, claro, segue seu estilo autoritário e de ataques aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras.

Seguindo essa, a direção da EBC anunciou o fim do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), aos trabalhadores e trabalhadoras que estão sem reajuste salarial há dois anos.

A direção da EBC é a única responsável pela paralisação dos trabalhadores, afirma Virgínia Berriel, diretora do Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro.

“Dois anos sem Acordo Coletivo de Trabalho, sem reajuste salarial e agora a empresa retirou direitos duramente conquistados através de anos de luta pelo Sindicato”, pontuou a dirigente.

“Somente a greve poderá restabelecer nossos direitos e dignidade. A EBC não respeita mais seus empregados e os Sindicatos”, acrescentou.     

cut2
Reprodução

Com o desmonte do ACT, os trabalhadores perdem direitos como Auxílio à Pessoa com Deficiência, estabilidade de 60 dias após o retorno da licença maternidade e de dois anos antes da aposentadoria, garantia da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), e inúmeros outros.

A negociação chegou a ser mediada por um juiz do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Em audiência, o TST ofereceu uma proposta de meio termo, mas a EBC manteve a postura intransigente, como o próprio juiz avaliou, e a rejeitou.

De volta à negociação direta com o sindicato, a empresa apresentou uma proposta fantasiosa, segundo o presidente do Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro, Leonel Querino. Ela oferecia 7% de reajuste, o mesmo percentual que já estava previsto no ACT para ser pago aos trabalhadores, por progressão salarial.

“Os trabalhadores rejeitaram a proposta e aprovaram por unanimidade a greve. A luta vai ser dura, estamos visualizando uma briga que envolve uma luta política, mas os trabalhadores resolveram comprar essa briga e ir para o tudo ou nada”, conclui o dirigente.

A empresa está sofrendo desmonte por parte do desgoverno Bolsonaro, tem sido utilizada para propaganda das ações do governo contrariando os princípios da comunicação pública e agora está amaçada de privatização.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.