Os humilhados serão exaltados

Preparar uma verdadeira greve geral para derrotar o golpe

Receba o DCO no Email

Pela terceira vez, após o golpe de estado no Brasil, através do Impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o movimento sindical, liderado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) está anunciando a realização de uma greve geral no dia 19 de fevereiro deste ano.

A greve geral convocada pela CUT junto com outras “centrais sindicais” (a maioria das quais está abertamente contra uma paralisação e defende apenas manifestações de protesto) está sendo chamada como alternativa de luta para se opor a votação da lei golpista da “reforma” da Previdência, marcada para ser votada no Congresso nacional golpista a partir do dia 19 de fevereiro.

No entanto, é preciso se opor a ideia errada de que essa convocação de greve se trata de uma verdadeira greve geral.

O que a maioria dos dirigentes sindicais chama de greve geral, não passa de uma dia de passeatas e atos no país e no máximo, se os trabalhadores aderirem ao chamado, a um dia de paralisações, na véspera de uma votação no parlamento brasileiro.

O Congresso golpista brasileiro se mostrou totalmente insensível a esse tipo de manifestações e vem aprovando medidas e leis contra o povo, apesar de dezenas de centenas manifestações que os movimentos sociais já fizeram após o golpe de estado.

Foi assim na lei que liquida com a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), na lei da terceirização em massa, no mega ajuste fiscal do golpista Temer etc.

A “reforma” da Previdência  que entrega a previdência pública para os banqueiros só não foi aprovada ainda, pois há conflitos internos no interior do próprio bloco golpista, mas tudo indica que o governo golpista está trabalhando para comprar e chantagear os deputados dissidentes, e não vai ser apenas com atos, passeatas ou paralisações de um dia que vão intimidar os golpistas.

É preciso unificar a luta contra esta e outras “reformas” com a luta contra o golpe de estado e o conjunto do regime golpista que as impulsiona e que se prepara para entrar em uma nova etapa, ainda mais reacionária, por meio da prisão de Lula.

Contra esta ofensiva e contra o golpe de conjunto, é preciso uma ampla mobilização da classe trabalhadora e uma verdadeira greve geral, convocando os trabalhadores a paralisar suas atividades por tempo indeterminado, sob a base de reivindicações concretas e reais, pode confrontar os golpistas em sua política de ataque aos direitos dos trabalhadores.

Os atos, manifestações e paralisações parciais como a convocada para o dia 19 de fevereiro tem que ser usadas para o processo de mobilização e aglutinação da classe trabalhadora brasileira para uma verdadeira greve geral.

Os trabalhadores precisam ser esclarecidos que os golpistas que assaltaram o poder político no país estão aí para escravizar a classe operária nos moldes do início do capitalismo, como o aumento da jornada de trabalho, redução salarial e retiradas de direitos conquistados na força.

Somente uma luta duradoura e consequente contra os golpistas, que pode ser travada através de uma greve geral por tempo indeterminado é capaz de botar um freio na sanha golpista e colocar os interesses e reivindicações dos trabalhadores para serem respeitados.

Nesse sentido, a  CUT (Central Única dos Trabalhadores) principal organização sindical da classe trabalhadora para organizar uma greve geral, não pode se aliar a quem não quer lutar, e apoiou o golpe no país, pois tem relações umbilicais com os interesses patronais, a exemplo da Força Sindical.

A Força Sindical foi criada pelos patrões da FIESP (Federação das Indústrias de São Paulo) justamente para impedir que os  trabalhadores se unificassem em uma única Central Sindical.

A Força Sindical é dominada pelo deputado federal, Paulinho Pereira, o Paulinho da Força, elemento patronal e golpista, que votou em tudo no Congresso Nacional contra os trabalhadores, a começar pelo golpe, Impeachment , reajuste fiscal, “reforma” trabalhista etc.

A greve geral tem que ser organizada com os setores que querem lutar contra o golpe, colocando abaixo todas as suas medidas golpistas, e isso tem que começar pela luta em defesa de Lula, impedindo o golpistas de colocá-lo na cadeia.

 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.