Divisões

Gabriel Marques

Assalto aos aposentados

Movimento dos Aposentados da Eletropaulo

Construídos pelos eletricitários, os planos de previdência estão sob ataque dos tubarões do capital

Trabalhador do setor eletricitário – Foto Reprodução

Receba o DCO no Email

As empresas do ramo de geração e distribuição de energia elétrica de São Paulo, que lucram com a privatização do setor feita há mais de 25 anos, estão desferindo uma série de ataques à previdência complementar dos trabalhadores. A denúncia é do Sindicato dos Energéticos do Estado de São Paulo, o Sinergia-CUT.

Segundo os trabalhadores, está em curso um processo de desconstrução dos planos criados há mais de 50 anos, de forma solidária, que vêm sendo pontualmente pagos para, após a aposentadoria, proporcionar uma renda complementar para o trabalhador. Ou seja, os planos de benefício de Previdência Complementar Fechada da modalidade vitalícia, atualmente administrados pela Vivest, antiga Fundação Cesp.

Artigos Relacionados

Para o Sinergia, há a real intenção da Vivest e das patrocinadoras, no caso as empresas que compraram as estatais no processo golpista de privatização, em acabar definitivamente com esses planos por meio da retirada do patrocínio. Mas antes disso, adotam a migração para os chamados planos CDs, sem renda vitalícia e com risco totalmente a cargo dos trabalhadores, com o objetivo de reduzir custos.

“Na prática, estão oferecendo para os participantes a migração de seus planos vitalícios para outros, supostamente mais vantajosos. Oferecem aparentes vantagens, como o pagamento imediato de um percentual do total que se tem a receber futuramente, como se fosse possível calcular quantos anos o participante vai viver para conhecer esse total. Na verdade, as empresas querem transferir integralmente os riscos inerentes aos planos de benefícios para os participantes”, disse o dirigente do Sinergia, Jurandyr Pimentel.

A título de comparação, é como se os trabalhadores tivessem economizado a vida toda para pagar um plano de saúde com direito aos melhores atendimentos de saúde do país. Porém, na hora de usufruir do direito, os trabalhadores serem assediados por essas empresas, no caso chamadas de patrocinadoras, a trocar seus planos por aqueles que mal dão direito a consultas.

Outro problema, segundo os trabalhadores, é que de um ano para cá, a Enel iniciou um processo de retirada de patrocínio do Plano PSAP Eletropaulo. Maior distribuidora de energia do Estado de São Paulo, a empresa de capital italiano foi desmembrada da Eletropaulo. Mais recentemente, a Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), controlada por empresa de capital colombiano, também anunciou a retirada de patrocínio, o que pode implicar em prejuízos a milhares de aposentados que cumprem até hoje com todas as obrigações junto aos planos, com descontos de contribuições em folhas de pagamento.

A manutenção e viabilidade dos planos previdenciários que as empresas querem abandonar é uma das condicionantes do edital de privatização, que contou com aval da ALESP na época. Mas as empresas, como boas golpistas que são e contando com o descaso do governo, deixam de lado essas normas estabelecidas e compromissos assumidos.

Para a liderança do Sinergia, o caso dos ataques aos planos de previdência complementar e de saúde dos trabalhadores do setor eletricitário paulista expõem uma movimentação dessas empresas sanguessugas cujo objetivo é abocanhar o patrimônio de R$ 45 bilhões de um conjunto de 107 mil pessoas. Ou seja, os eletricitários aposentados, assim como os na ativa, além de seus familiares. Querem colocar esses recursos, atualmente administrados com participação dos trabalhadores, sob os cuidados dos bancos.

O problema, que afeta as demais categorias do serviço público, chegou à Frente Parlamentar em Defesa do Setor de Energia, Barragens, Saneamento Básico e Recursos Hídricos e foi tema de audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo.

O Movimento dos Aposentados da Eletropaulo, criou um abaixo assinado contra a retirada dos direitos dos aposentados do setor eletrcitário, dizem os aposentados. A Retirada de patrocínio das empresas do setor elétrico, está afetando milhares de famílias que dependem de suas aposentadorias vitalícias. Ocorre que durante toda uma vida de trabalho, os trabalhadores desse setor, fizeram acordos para um provento à longo prazo, para proporcionarem as suas famílias um futuro digno. Agora com a retirada de patrocínio essa poupança está sendo ameaçada, pois o patrocinador retirando o patrocínio,  deixarão muitos idosos aposentados sem esse salário mensal vitalício, que passou a ser suas subsistências, inclusive para pagamento de plano de saúde. Que seja respeitada a Carta Magna, a Constituição de 1988, artigo V, inciso XXXVI, que respeita o direito adquirido. Ao respeito aos contratos firmados entre a empresa e os trabalhadores, os quais honraram sua parte nos acordos e foram descontados em folha de pagamento durante toda sua vida laboral.

Link para o abaixo assinado: https://chng.it/NyKFGJ8L

Após a entrega total do patrimônio nacional para os tubarões do mundo, agora essas empresas que nada fazem pelo povo e levam todo o lucro para fora do país, querem assaltar os trabalhadores que por toda uma vida pagaram para ter o mínimo de dignidade na aposentadoria, quebrando um contrato como se quebra uma taça de cristal.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.