Rússia e China estão prestes a “normalizar” a Coreia do Norte

Prévia da inflação

Identitarismo nos sindicatos não enche barriga do operário

Ao invés de fazer coro com a demagogia da burguesia em torno de questões comportamentais, os sindicatos precisam organizar os trabalhadores contra o arrocho salarial.

Enquanto a esquerda importa slogans, o prato do trabalhador está cada vez mais pobre. – Foto: Roberto Parizotti/ Fotos Públicas.

Receba o DCO no Email

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) ficou em 1,17% em novembro, a maior alta para esse mês desde 2002. O índice funciona como uma prévia da inflação oficial e já acumula alta de 9,57% em 2021. Nos últimos 12 meses, já acumula uma alta de 10,73%, maior valor para esse intervalo desde 2016.

A escalada de aumentos nos valores dos combustíveis, estimulada pela política de preços da Petrobrás, contribui muito para a disparada da inflação. Nos últimos 12 meses, a gasolina aumentou em 48%, o etanol em 62,56% e o diesel 48,12%. A dependência quase que exclusiva do transporte rodoviário no país faz com que esses aumentos sejam repassados ao conjunto das mercadorias.

Ao mesmo tempo, a imensa maioria dos trabalhadores estão sem reajustes salariais, além do enorme contingente de desempregados ou subempregados. Essa combinação de arrocho salarial com inflação galopante diminui dramaticamente o poder de compra do trabalhador, impactando as condições de vida de sua família. É um problema recorrente no capitalismo e não por acaso uma das tarefas principais dos sindicatos é mobilizar a categoria que representa para conquistar reajustes anuais dos salários.

Sindicatos “universitários”

Assim como ocorre nos partidos políticos da esquerda pequeno-burguesa, os sindicalistas parecem mais antenados na esquerda “bem pensante” universitária do que nos trabalhadores. Enquanto falta alimento na mesa daqueles a quem representa, muitos sindicatos se preocupam em “iluminar” os trabalhadores com a “sabedoria” identitária.

Por ocasião do Dia da Consciência Negra, sindicatos que se mantiveram fechados durante a maior parte da pandemia promoveram atividades sobre “igualdade racial”, “visibilidade negra” e outros temas similares. No entanto, deixam de lado justamente uma questão concreta e imediata que prejudica os trabalhadores negros e que é papel do sindicato combater, a corrosão dos salários.

Por mais que em alguns casos essas iniciativas estejam carregadas de boas intenções, para a maioria dos trabalhadores isso aparece como algo deslocado da sua própria realidade. Racismo, machismo e homofobia são problemas reais, porém as respostas identitárias a estas questões só ajudam a oprimir ainda mais os mais oprimidos.

Confrontados com a deterioração das suas condições materiais para sobreviver, os trabalhadores tendem a se afastar de sindicatos que não lutam por aumento dos salários enquanto tudo fica mais caro. Os sindicalistas precisam sair de casa e cumprir sua função. Só com muita luta os trabalhadores conseguirão reajustes para no mínimo manter seu poder de compra.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.