ASSISTA AQUI à Análise Política da Semana ao vivo

  • Capa
  • Correios
  • Governo Bolsonaro mente para privatizar a ECT

Correios

Governo Bolsonaro mente para privatizar a ECT

Estudo farsa promovido por Paulo Guedes aponta que Correios possuem prejuízo de R$ 14 bilhões, visando enganar o povo para entregar a ECT para os capitalistas do mercado postal

Manifestação de greve da categoria. – Arquivo

Receba o DCO no Email

Em matéria publicada pela golpista revista Exame no dia 28 de outubro deste ano, o governo fraudulento de Jair Bolsonaro, através do Ministério da Economia, apresentou um levantamento absurdo de que os Correios possuem um passivo de 14 bilhões de reais.

Segundo o estudo fraudulento do governo entreguista de Bolsonaro, esse passivo é a “explicação” para destruir um dos maiores patrimônios do povo brasileiro que é a ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), demitir milhares de dezenas de trabalhadores da empresa e acabar com esse serviço público no Brasil.

Artigos Relacionados

Utilizando dessa informação fraudulenta, propagada nos órgãos da imprensa capitalista o governo Bolsonaro estabeleceu promover todo o processo de entrega dessa empresa (privatização) até o final do ano de 2022.

O levantamento farsa teria sido realizado por um departamento do próprio Ministério da Economia, controlado pelo mega corrupto e liberal Paulo Guedes, o Siest (Sistema de Informações das Estatais).

Os técnicos do Siest do Ministério da Economia apresentam que mais da metade dos 14 bilhões de reais dos passivos, ou dívidas dos Correios é de origem de pendências financeiras com o fundo de pensão complementar dos trabalhadores dos Correios, o Postalis, e do plano de saúde da empresa.

O restante seria de obrigações trabalhistas e de dívidas com fornecedores.

A farsa se revela no fato de que tanto o Postalis com o plano de saúde dos Correios está sendo custeado nesse momento pelos próprios trabalhadores.

O fundo de Pensão BD (Benefício Definido) foi saldado em 2009 pela empresa com o argumento de que o Saldamento evitaria dívidas para os trabalhadores, no entanto, após alguns anos, a empresa ainda assim passou a cobrar uma taxa dos trabalhadores para pagar o rombo do Fundo, provocado pelo Banco Mellon, um Banco dos Estados Unidos.

Já o direito dos trabalhadores usarem o plano de saúde de forma gratuita foi retirado dos trabalhadores, através dos ministros biônicos do TST (Tribunal Superior do Trabalho) em 2018, estabelecendo mensalidades absurdas para a categoria e retirando o direito de manter os pais e mães de funcionários nesse plano.

Quanto as dívidas trabalhistas adquiridas pela empresa vêm justamente dos vários planos de demissão da empresa, com o nome de demissão incentivada ou voluntária.

Também é necessário explicar que os gastos ordinários que a ECT possui com os Postalis e o com plano de saúde dos Correios são gastos que a empresa sempre conseguiu pagar com o próprio lucro produzido pelos próprios trabalhadores.

Bolsonaro quer quebras do monopólio postal dos Correios

Ao mesmo tempo em que o governo golpista de Bolsonaro manipula os dados econômicos sobre os Correios, apresenta medidas para destruir a organização dos Correios e sua função de preservação da soberania nacional, relacionada ao monopólio postal da Estatal em relação a entrega de cartas, impressos e telegramas.

O ministro golpista de Bolsonaro, Fábio Farias, genro do empresário Silvio Santos, apresentou a Casa Civil desse governo, o projeto de lei que pede ao Congresso Nacional a quebra do monopólio postal dos Correios no Brasil.

Todas as vezes, na história dos Correios, que o monopólio postal foi questionado, foi iniciativa de empresários concorrentes da ECT, mas como o governo Bolsonaro é inimigo das empresas públicas no país, e representante dos capitalistas locais e internacionais, dessa vez a iniciativa saiu do próprio governo.

Após ser apreciado pela Casa Civil, o projeto de lei encaminhado pelo plaboy, Fábio Farias, será encaminhado para o golpista Congresso Nacional, que após o golpe de 2016, vem aprovando todas as propostas de destruição dos serviços públicos e das empresas estatais no Brasil.

Bolsonaro quer destruição a categoria ecetista

Outro franco do governo de Bolsonaro para destruir os Correios, é o seu ataque feroz aos 95 mil trabalhadores dos Correios que entraram por concurso público. A campanha salarial da categoria, que promoveu uma greve de 36 dias pelos trabalhadores dos Correios, realizada em agosto/setembro de 2020 terminou com o maior ataque aos direitos e benefícios dos trabalhadores ecetistas.

Com a ajuda dos ministros biônicos do TST, e da capitulação das direções sindicais dos Correios, Bolsonaro está conseguindo roubar cerca de 40% dos ganhos salariais da categoria.

Os trabalhadores dos Correios que recebiam em média R$ 2.500, 00 (dois mil e quinhentos reais de salários), estão perdendo por ano cerca de R$ 10 mil reais de salários e benefícios, ou seja, perto de R$ 900,00 (novecentos reais) por mês.

Muitos dos trabalhadores do setor operacional que receberam seus contracheques no mês de outubro não receberam nem R$ 1.000,00 (mil reais de salário).

É uma política consciente dos golpistas para desmoralizar a categoria a fim de fazer com que os próprios trabalhadores peçam para ser demitidos, esvaziando com isso a empresa e facilitando o processo da privatização.

É preciso reorganizar os trabalhadores a fim de criar uma ampla mobilização dentro dos Correios e para fora da empresa em torno de uma luta contra os privatizadores dos Correios, os golpistas e o governo Bolsonaro.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.