Veja quem são os principais candidatos do PCO no Sul do País

Luta bancária

Contra os banqueiros, Bancários do DF fecham agências

Bancários de Brasília se mobilizam contra a política genocida dos banqueiros com a volta indiscriminada de retorno presencial ao trabalho

Coronavirus – Foto Reprodução

Receba o DCO no Email

Depois que os banqueiros decidiram o retorno completo de todos os funcionários ao trabalho presencial, inclusive aqueles que fazem parte do grupo de risco, houve um aumento gigantesco de contaminação nas dependências bancárias, ao ponto de serem obrigados a fechar as portas de mais de 800 agências, em todo o país, onde foram constatados infecções de funcionários, além das diversas dependências administrativas, dos grandes prédios dos bancos, como foi o caso do Banco do Brasil em São Paulo, em que 3 andares, de um total de 7, estavam com funionários contaminados.

Dados atualizados da pandemia no Brasil mostram um avanço da contaminação em praticamente todos os estados da federação. Já são 23,6 milhões de casos, com 622 mil mortes; no momento em que escrevíamos esta matéria os números apresentavam 170 mil novos casos de contaminação e 351 mortes diárias, um verdadeiro genocídio. Isso sem falar da gripe Influenza H3N2 que está contaminando em massa.

Enquanto isso, qual a “solução” encontrada pela burguesia e seus governos: o mais do mesmo. Desde o começo da pandemia o que se viu, e se vê, é uma política de total desprezo dos patrões e seus governos diante aos trabalhadores e da população.

Nos bancos a política genocida sempre foi uma constante. As agências bancárias se mantiveram abertas normalmente, em todo o período da pandemia, em que se pode constatar as gigantescas aglomerações, tanto dentro quanto fora, como por exemplo, na Caixa Econômica Federal, quando a multidão se aglomerava para receber o “auxílio emergencial”.

Tudo isso se deu sem que os banqueiros fizessem o mínimo em relação à proteção sanitária dos seus próprios funcionários, quem dirá da população. A consequência não poderia ser outra que não fosse um aumento de desligamento, por motivo de óbito, na categoria na ordem de 200%.

E agora, para manter os seus privilégios, os banqueiros determinam o retorno presencial de todos os funcionários que se encontravam em trabalho remoto e, como já dissemos, acima da matéria, houve um aumento exponencial de contaminação nas dependências bancárias.

Contra tudo isso, a direção do Sindicato dos Bancários de Brasília vem organizando diversas manifestações nos bancos contra a política genocida dos banqueiros. Depois de realizar manifestações na porta do complexo de prédios do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, localizado no centro da Capital Federal, nesse dia 20 de janeiro, foi a vez das agências bancárias, com o fechamento de diversas delas, localizadas no Setor Comercial Sul, local que concentra uma grande quantidade de agências dos diversos bancos. Segundo informações do Sindicato a localidade escolhida para o fechamento de agências se deu pelo o “mapeamento feito pela entidade com alta preocupante no número de trabalhadores contaminados pelo coronavírus”. Site bancariosdf 21/01/2022)

Os trabalhadores bancários estão diante de uma situação em que os banqueiros, para manterem os seus já fabulosos lucros (os banqueiros nunca lucraram tanto como agora em plena pandemia), passam com um trator por cima da vida dos bancários. Para eles os trabalhadores são considerados apenas como números, basta ver os números de desligamentos por motivo de óbitos na categoria.

Os bancários têm toda razão da sua indignação e devem responder em alto e bom som um vigoroso NÃO à política genocida dos banqueiros. A categoria, através das suas entidades de luta, deve organizar, imediatamente, uma mobilização, de toda a categoria, e dar uma resposta aos banqueiros, através dos seus métodos tradicionais de luta, greves, ocupações, etc., para barrar a ofensiva reacionários dos banqueiros e seus governos de plantão.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.