Menu da Rede

Membro da Direção Nacional do PCO. Secretário de Agitação e Propaganda do Partido. Formado em Ciências Sociais.

Um instrumento de mobilização

Contra os golpistas, o candidato tem que ser Lula

A esquerda precisa abandonar as ilusões na instituições golpistas e mobilizar o povo

A esquerda pequeno-burguesa está condicionada a enxergar as coisas apenas eleitoralmente. A crença na democracia burguesia a torna incapaz de perceber que na realidade não existe democracia e que o povo só consegue as coisas na base da força. A eleição, nesse sentido, não passa de uma expressão na superfície dessa força.

Mas, apegada a cargos e posições no Estado, a pequena burguesia tem dificuldades de entender a política do ponto de vista da mobilização das massas.

Artigos Relacionados

A questão da luta pelos direitos políticos de Lula esbarra nesse problema.

Uma parte da esquerda está procurando o seu próprio lugar ao sol, ou seja, seu cargo, ou pelo menos avançar alguns degraus rumo a um cargo. Por isso, diz que defende Lula mas não necessariamente defende a candidatura de Lula, pois acredita que teria condições iguais de disputar a presidência. Um delírio, mas é o que esses setores da esquerda pensam. Fica bem explícito na declaração de Guilherme Boulos que afirmou, sobre a decisão do PT de lançar uma campanha Lula/Haddad, que era preciso discutir um “projeto de unidade”. Independente da consideração – que nós achamos errada – sobre a decisão do PT sobre Haddad, fato é que Boulos está delirando se acha que do ponto de vista eleitoral teria cacife para decidir de igual para igual com Lula e o PT sobre a candidatura em 2022.

Outra parte da esquerda acredita que embora seja importante lançar Lula, caso ele não possa se candidatar, é preciso repetir o erro de 2018 e lançar alguém no lugar. Seria como se o juiz de uma partida de futebol, declaradamente torcedor do time adversário, decidisse a escalação do seu time e você aceitasse, de cabeça baixa. No mundo real ninguém aceitaria tal arbitrariedade, mas a esquerda, que vive no mundo da fantasia chamado “democracia”, abaixa a cabeça e aceita as imposições do juiz.

As duas ideias mostram o nível de ilusão que a esquerda tem nas instituições do regime golpista. Ela acredita que fazer política é seguir essas instituições. Para a esquerda, política não é uma luta de interesses. E bom explicar o que significa lutar, já que a palavra ficou vazia de tanto que a esquerda usa para fazer demagogia. Trata-se de força, quem tem mais força, ganha, ou no ditado popular, quem pode mais chora menos.

Até agora, quem pode mais é a burguesia. Ela mobilizou a extrema-direita, deu o golpe, prendeu Lula, fraudou a eleição de 2018 e elegeu Bolsonaro. Ela dá as cartas no jogo institucional. Em geral é assim, com o golpe piorou.

O que restaria para a esquerda é mudar essa situação “podendo mais” do que pode hoje. E para poder mais, ou seja, para ter força nessa luta, é preciso mobilizar o povo. Mobilizar o povo não significa participar da eleição, pedir voto e aceitar, de cabeça baixa, o jogo do seu inimigo, como fizeram em 2018.

A eleição não deve ser nada mais do que um instrumento para uma mobilização real, que é a força que a esquerda precisa. Para que isso ocorra, é preciso em primeiro lugar mobilizar em torno daquilo que a direita mais se esforça para tirar do jogo político: Lula.

A luta pelos direitos de Lula e consequentemente por sua candidatura não é um problema meramente eleitoral. A eleição é secundária, é apenas uma alavanca. A candidatura de Lula, que até o momento é tudo o que a direita não quer, é colocar o regime político em xeque, chamando o povo a fazer isso em torno do direito de Lula ser candidato e ser votado.

Se a direita disser não. É preciso denunciar a fraude e chamar o povo a se mobilizar. Criar um movimento cuja principal preocupação seja a força da mobilização e não a busca delirante por um voto e um cargo.

Esse é o problema central da luta contra o golpe. Da luta contra Bolsonaro e todos os golpistas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.