Menu da Rede

Antônio Carlos Silva

Militante do Partido da Causa Operária (PCO) desde as suas origens. Membro do Comitê Central do Partido, secretário Sindical e coordenador da Corrente Nacional Sindical Causa Operária.

Professor do Ensino Público do Estado de São Paulo, atua na oposição da Apeoesp.

Foi candidato a diversos cargos pelo PCO em eleições regionais e nacionais, levando a propaganda revolucionária às grandes massas.

Participa do conselho editorial do Jornal Causa Operária, do qual é colunista.

Apresenta os programas Resumo do Dia e Resumo da Semana, na Causa Operária TV. Também é âncora do programa Comando de Greve.

Membro da Direção Nacional do PCO, Secretário Sindical do partido. Professor.

Direita sabota mobilização

Derrotar a sabotagem do Movimento Fora Bolsonaro e sair às ruas

Contra a política da frente ampla de pôr fim aos atos, reorganizar e fortalecer as raízes populares do movimento

Após o fracasso das seguidas tentativas de infiltração e controle pela direita do movimento “Fora Bolsonaro”, a última nos atos de 2 de outubro, quando os golpistas, inimigos da luta dos trabalhadores, “pais de Bolsonaro”, responsáveis pela sua eleição fraudulenta e que não querem a sua derrubada de fato, foram amplamente repudiados pela militância classista e combativa que participava dos atos, principalmente em São Paulo, a direita se lançou de modo aberto e frenético no sentido de torpedear o movimento.

A lógica da direita é clara: ou o movimento serve aos propósitos reacionários, como ajudar a fazer campanha para politicos de direita desmoralizados e sem prestígio popular, caso de João Doria (PSDB) e Ciro Gomes (hoje no PDT), ou deve se destruído. Ou os trabalhadores apoiam os reacionários que querem privatizar tudo, manter o genocício, a fome e a miséria do povo ou não deve haver manifestação.

Artigos Relacionados

Eles querem que o movimento “Fora Bolsonaro” seja um novo movimento das “Diretas”, que termine com o povo derrotado e com o apoio de setores da esquerda a candidatos ultra direitistas, como foi o caso da dupla Tancredo-Sarney, em 1985, como é hoje o caso de Doria-Ciro entre outros que levariam adiante a política de Bolsonaro e de todo o regime golpista contra o povo trabalhador.

Por um lado, atendendo às ordens de seus “donos”, esses senhores buscam intensificar seus ataques contra o candidato apoiado por mais de 80% dos que participam dos atos (como mostrou uma pesquisa realizada pela USP com os manifestantes no dia 2), a maior liderança operária e popular do País: o ex-presidente Lula. No último dia 13, novas declarações canalhas de Ciro Gomes contra Lula e Dilma acentuaram esses ataques.

Por outro, pretensos organizadores do movimento Fora Bolsonaro, sem convocar nenhuma reunião das organizações que constroem a mobilização e sem qualquer consulta às bases de suas próprias entidades, começam a repercutir a campanha da direita e do seu Partido da Imprensa Golpista (PIG) de que  “não haverá ato de rua no dia 15 de novembro” (Folha de S. Paulo, 14/10/2021).

Para essa data, foi anunciado que os partidos defensores da “frente ampla”, da aliança com a direita tradicional contra o PT, gostariam de trazer para o palanque alguns dos chefes dos partidos da direita, governadores etc, para se apoderarem da mobilização construída pela esquerda, em benefício de seus planos políticos e eleitorais, totalmente contrários aos interesses dos explorados.

Como sempre acontece, setores da esquerda pequeno-burguesa e outros que seguem a orientação emanada pela direita, começaram contrastar com as enorme tendências a uma ampla mobilização que se expressa na situação política, com a retomada das mobilizações de rua, greves do movimento operário, na evolução política, expressa nesses movimentos e na rejeição à presença da direita nas mobilizações, organizadas e impulsionadas pela esquerda. De certa forma, repetem a fracassada política de paralisia, do “fique em casa” que, adotada no período mais grave da pandemia e ainda vigente em amplos setores. Agora, em uma situação de maior polarização política, de maior sofrimento do povo, quando a mobilização popular se faz ainda mais necessária.

Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP (Central de Movimentos Populares), teria afirmado à Folha de S.Paulo, “que não há condições políticas para novos projetos da campanha pelo ‘Fora Bolsonaro'”.  Isso porque, “segundo ele, o principal objetivo agora é expandir a adesão aos atos para além da esquerda”.

Isso mesmo, Bonfim está reconhecendo que “a ampliação [com a direita] não resultou em maior participação nos atos, tampouco acrescentou adesões de novos segmentos em prol do impeachment”.

Essa “ampliação” foi na realidade uma redução e a tentativa de um bloqueio do caráter combativos dos atos, diante de uma situação em que os “aliados” da direita trazidos para as manifestações são os mesmo que estão sendo enfrentados nas ruas pelos trabalhadores e suas organizações, como no caso das greves dos servidores de São Paulo, contra os governos do PSDB e MDB. São também os que apoiaram o golpe em suas diversas etapas, que agora tentam acusar Lula de golpista e, como Bolsonaro e toda a direita, atacam covardemente a ex-presidenta Dilma.

Contra essa política capituladora, é preciso defender a reorganização democrática do movimento “Fora Bolsonaro”, com plenárias de base, reuniões presenciais e democráticas de seus fóruns, para debater publicamente os rumos do movimento.

Neste mesmo sentido, nós do PCO – junto com outros setores do Bloco Vermelho, estamos realizando um chamado à realização da Plenária Nacional Fora Bolsonaro e por Lula presidente, para agrupar os setores classistas e combativos do movimento, em torno de uma perspectiva de luta, de ampliação real do movimento, junto aos trabalhadores, à juventude, a todos os setores explorados e suas organizações de luta.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.