Reação ao atentado: Maduro prende mais três agentes internos à serviço do imperialismo

ministro

Da redação – O governo de Nicolás Maduro, tendo sido eleito no último pleito por 9 milhões de trabalhadores, está se sobressaindo como líder na luta contra o imperialismo norte-americano, que tenta desestabilizar o país para roubar seu petróleo. Neste sentido, informou que prendeu mais três envolvidos no atentado contra o presidente , no dia 04 de agosto, dentre os quais se encontra um coronel aposentado chamado Ramón Santiago Velasco, bem como Henryberth Emmanuel Rivas Vivas e Angela Lisbeth Expósito Carrillo.

O ministro de Comunicação venezuelano, Jorge Rodríguez, disse em entrevista oficial que as prisões foram feitas na madrugada de sábado (22) para domingo (23). Sobre os detalhes, afirmou que Vivas denunciou que faria um vídeo do “assassinato do presidente” e Angela o escondeu em sua casa. Já Garcia foi detido com a acusação de ajudar a levar Vivas para a fronteira com a Colômbia, onde está o deputado Julio Borges, acusado de ser o autor intelectual da ação.

Os vídeos demonstrados pelo ministro, trazem as confissões de Vivas e de Angela, onde o general afirma que foi levado à Colômbia para receber treinamento, se relacionando com o “chefe da migração” do país, e que, após o atentado, seria levado por outra pessoa – também sem nome revelado -, cujas articulações direito da Espanha, deixaria tudo preparado para leva-lo à embaixada do Chile em Caracas. Rodrigues revelou material de Angela, que, ligando os pontos, de acordo com a organização não governamental (ONG) Foro Penal, é espanhola, tendo recebido Vivas em sua casa “sem saber”  que era procurado pelas autoridades.

Como é bem conhecido pelas organizações operárias sérias, essas ONGs são instrumentos do imperialismo em diversos países, assumindo uma roupagem de “defesa dos animais”, “crianças de rua” e etc, como no caso de Angela, diretora de uma dessas protetoras de animais, cuidando de cães de pessoas procuradas por “causas políticas”, se movem como agentes internos dos grandes capitalistas, da agência CIA, para desestabilizar governos segundo os interesses dos patrões. Aqui vale lembrar aos adoradores de filmes de Hollywood, que as grandes produções de ação, mostrando agentes altamente treinados, ao estilo “Missão Impossível”, são invertidos nesse papel, pois esses são os vilões das nações exploradas, responsáveis por derrubarem governos, torturarem milhares de pessoas e destruírem economias inteiras.

O governo divulgou o número de 28 presos após o atentado, entre elas o deputado opositor Juan Requesens, demonstrando a atitude extremamente acertada de Maduro na luta contra o imperialismo que vem ameaçando invadir o país. É preciso denunciar amplamente que os EUA divulgam abertamente os planos de invadir o país para massacrar os trabalhadores venezuelanos. A Revolução Bolivariana, nas mãos do povo, irá resistir como em outros golpes orquestrados pelos invasores e o PCO presta toda sua solidariedade ao povo venezuelano.