Em meio à pademia
O governo do PR culpa o povo pela crise de desabastecimento hídrica. Necessidade vital do ser humano em condições normais, em tempos de pandemia sua escassez pode se tornar fatal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
torneirasecaagua-1200x800
Água se torna um item escasso em Curitiba | Foto: Reprodução

O governo Ratinho Jr. E a companhia de águas e saneamento do Paraná tentam, através da imprensa, responsabilizar a população pela crise de abastecimento de água em Curitiba. Segundo a Sanepar a taxa de economia de água caiu no mês de outubro e os reservatórios atingiram níveis críticos, o que pode precarizar ainda mais o abastecimento de água que já atende a um rodízio de 36 horas com e 36 horas sem água.

O que a Sanepar não disse é que esta situação crítica do abastecimento de água de Curitiba é uma novela de terror que já se estende por anos desde que o abastecimento de água na cidade foi privatizado. Isto é que acontece quando se sujeitam serviços que dizem respeito ao interesse público à lógica do lucro. Por isso faltam investimentos em infraestrutura, porque a lógica do mercado não consegue dar conta de necessidades que são de interesse público.

Esta é uma consequência da privatização dos serviços públicos, a precarização no oferecimento do serviço. Mas esta é a lógica predominante tanto do governo em Curitiba quanto do governo federal. Propaga-se a ideia de que a privatização vai melhorar os serviços quando, na verdade o que se tem como resultado é a agravamento dos traços críticos  no que diz respeito ao acesso a eles.

Tanto a tentativa de transferir para a população a culpa pela falta de investimentos como o risco de um rodízio ainda mais rigoroso, onde se tenta resolver um problemas atacando as consequências e não as causas, consistem de verdadeiros crimes contra a população que se vê acuada em meio aos assédios dos poderosos, o que se agrava ainda mais em contexto de pandemia.

A saída para este problema está na mobilização popular. É preciso ir às ruas para derrubar a política da privatização tanto no Paraná como no país. É preciso derrubar Ratinho Jr. e Bolsonaro com uma cajadada só sob o risco da política de privatização das duas esferas matarem a população de sede. É preciso restituir o abastecimento, estatizar todo o serviço de águas e saneamento, arrancar a estatal das mãos dos capitalistas e entregá-la ao controle dos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas