Quilombolas sem médicos
Assim como em todo país a população quilombola esta morrendo e nem sabe do que
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
quilombolas
Quilombolas do Pará | Foto: Reprodução

Quilombolas de comunidades no município de Moju no estado do Pará querem que o atendimento dos habitantes de seus quilombos seja feita no local em que eles vivem.

A prefeitura da cidade quer levar os habitantes dessas comunidades para atendimento na sede do município, contrariando a recomendação da OMS de evitar o contato social.

A população dos quilombos seria levada de ônibus até o centro, mas esse mesmo ônibus passaria por diversas comunidades antes de chegar ao seu destino final, aumentando o risco de contaminação.

O município de Moju é constituído por 27 comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombo e há registro de infectados e de quatro pessoas que morreram com sintomas da covid-19.

No entanto, não foram realizados testes que pudessem confirmar a infecção pelo novo coronavírus.

Assim como em todo país a população esta morrendo e nem sabe do que.

É preciso exigir dos governos municipal e estadual que sejam disponibilizados imediatamente atendimentos nos territórios onde os quilombolas vivem.

É nessa hora que vemos como faz falta os médicos cubanos, escorraçados do brasil pelo governo fascista de Jair Bolsonaro.

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas