Querem forçar a esquerda a votar no golpe: campanha de Ciro insinua que Lula perderá para Bolsonaro

ciro-gomes-ebc

A burguesia golpista tenta por todos os meios tirar Lula da corrida eleitoral, mentindo, sabotando, atacando e usando seus diversos golpes sujos para tentar impedir que a vontade popular seja atendida nas urnas.

Nesse sentido, a campanha de Ciro Gomes é fundamental para fazer a propaganda dos golpistas, não só porque estão procurando dar-lhe um caráter esquerdista para apresentar que eleições sem Lula seriam democráticas, mas também porque existem grandes possibilidades de que Ciro se torne o candidato oficial dos golpistas, já que se trata de um homem de confiança de um setor importante da burguesia, mas também de alguns esquerdistas que acreditam em seu discurso – o que apaziguaria a polarização política criada pelo golpe.

Nesse sentido, a burguesia estaria procurando apresentar que Ciro seria a única alternativa para barrar o ultra-direitista Jair Bolsonaro. Em recente matéria da revista Veja foi divulgada uma pesquisa, do Instituo Paraná (que divulgou “pesquisas” favoráveis ao Aécio em 2014), que mostrou Bolsonaro na frente de Lula no Rio Grande do Sul. Segundo a pesquisa, Bolsonaro teria 28% enquanto que Lula 20,5%. Atrás deles estariam Ciro e Marina, com 7%.

É importante ressaltar que tanto quem divulgou a pesquisa (Veja) como quem a realizou (Instituto Paraná) são vanguarda no que diz respeito a falsificação de notícias e dados. Mas não bastasse a clara falsificação da pesquisa, o Instituto ainda promoveu uma outra alternativa, desse vez sem Lula, revelando a vontade da direita de retirar o principal candidato das eleições.

Nessa outra pesquisa, Bolsonaro aparece com 29,4% e Ciro e Marina com 10%. Muitos apoiadores de Ciro têm usado essa mentira recém divulgada para fortalecer o apoio a ele. Segundo eles, a ameaça de Bolsonaro e a incapacidade de Lula se candidatar (o que é uma outra mentira) seriam razões para fazer campanha a favor de Ciro Gomes, usando a velha tática do espantalho para inflar um candidato, em que se apresenta um candidato (Bolsonaro) como personificação de todos os males enquanto que se chama apoio para um “menos pior”, que no caso seria o Ciro Gomes.

Entretanto, dizer de que Ciro seria o menos pior não passa de uma mentira. Ciro é o candidato da FIESP, está se direcionando em fazer uma aliança com Benjamin Steinbruch, grande defensor da reforma trabalhista. Além do mais, Ciro já apresentou quais seriam suas alianças, além do golpista PSB e do pelego PCdoB (que foi quem liderou a política de virar a página do golpe dentro da Frente Brasil Popular), o tucano com pé de pato anunciou que estava articulando com o DEM (que também foi apoiado pelo PCdoB) e o PP, dois partidos golpistas oriundos do antigo partido da Ditadura Militar, do qual o próprio Ciro fez parte em seu passado, a ARENA.

Portanto, fica claro: os setores que lutam contra o golpe não deve aceitar que a burguesia os empurre qualquer candidato usando Bolsonaro como espantalho. Ciro Gomes, Geraldo Alckmin, Marina Silva e todos esses outros golpistas são tão ruins quanto Jair Bolsonaro. É Lula ou nada!