“Fake News”
O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) propõe no texto da PL das “Fake News” até 5 anos de prisão para quem divulgar “noticias falsas”
Sessão extraordinária para eleição do novo presidente da Câmara dos Deputados. Candidato a presidência, dep. Orlando Silva (PCdoB - SP) 
Data: 13/07/2016 Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) | Foto: Reprodução
Sessão extraordinária para eleição do novo presidente da Câmara dos Deputados. Candidato a presidência, dep. Orlando Silva (PCdoB - SP) 
Data: 13/07/2016 Luis Macedo / Câmara dos Deputados
Deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) | Foto: Reprodução

A desorientação política da esquerda não tem limites. Quando se trata de aumentar o caráter repressivo do regime político, não somente não realiza um combate ao incremento das penalidades e punições como até mesmo atua como força auxiliar da direita, em especial dos golpistas.

Uma prova cabal disso é o fato do deputado federal de S. Paulo pelo PCdoB, Orlando Silva – relator de uma comissão na Câmara de Deputados para elaborar uma minuta de PL sobre as chamadas “fake news” (notícias falsas) – propôs uma legislação que, além do estabelecimento de censura prévia nas redes sociais, prevê uma punição de até 5 anos para quem disseminar “fake News”.

A proposta apresentada pelo deputado do PCdoB ainda será levada para o presidente da casa, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que não por acaso escolheu Orlando Silva para a referida função de preparar o texto, que será submetido à votação. De qualquer forma, conforme vem sinalizando Orlando Silva., a proposta encaminhada pelo Senado, vai sofrer modificações, para pior evidentemente.

Com o pretexto de “combater o bolsonarismo” e a “ disseminação de noticias falsas”, os representantes políticos das classes dominantes estão querendo estabelecer um sistema de controle da opinião, impedindo a circulação de informações e mais ainda impondo um sistema de repressão e perseguição contra todos que não comungarem com as “notícias verdadeiras”. Enquanto isso, os grandes conglomerados corporativos de imprensa capitalista, que controlam a “mídia”, seja ela falada, televisiva ou escrita, produzem minuto a minuto uma quantidade inimaginável de mentiras, revelando-se uma colossal máquina de desinformação e falsidade. A nova ofensiva dessa infernal máquina de propaganda capitalista é cercar o contraditório nas redes sociais, por isso o feroz ataque contra a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa.

Se um militante de esquerda, digamos do antigo PCdoB, que  enfrentou à ditadura militar brasileira, chegasse hoje em uma máquina do tempo imaginária, com certeza pensaria que seria uma calúnia da imprensa capitalista ou melhor que seria mais uma “fake news”  a notícia que um deputado de esquerda, ainda mais “comunista”, propôs que o Estado aumente a censura e mandasse prender pessoas como fizeram os militares e em geral os ditadores.

Além disso, é um tiro no pé aumentar a repressão e tolher a liberdade de informação nas redes sociais. Se hoje o pretexto é o combate contra ao “bolsonarismo” e aos “blogueiros de extrema direita”, logo se voltará com toda força  contra a esquerda e as organizações dos trabalhadores, como de fato, já está acontecendo.

Relacionadas
Send this to a friend