Quem colocou Bolsonaro na frente foi a fraude, não o apoio popular

bolsonaro-marcelocamargo-abr

A imprensa golpista no Brasil, que em determinado momento das eleições, atacou  Bolsonaro como sendo machista e homofóbico para tentar transferir seus votos para seu principal candidato Geraldo Alckmin do PSDB, agora tenta dar sua versão manipuladora sobre os motivos que levaram o golpista e fascista Jair Bolsonaro ter 46% dos votos no primeiro turno das eleições, e conseguir 58% das intenções de votos para o segundo turno, segundo pesquisa do Instituto golpista, Data Folha.

Segundo matéria da revista golpista, IstoÉ, Bolsonaro está surfando em uma onda conservadora e se aproveitando da onda antipetista que emergiu no País.

Nada mais falso e manipulador, uma vez que as próprias pesquisas dos Institutos golpistas, indicavam há uma mês antes das eleições de outubro que Lula do PT ganharia as eleições presidenciais, já no primeiro turno.

Mesmo preso de forma ilegal pela operação golpista da “Lava Jato”, Lula liderava as pesquisas com grande folga, tendo o Bolsonaro em segundo lugar, com um percentual de intenção de votos, nunca superior a 20%.

O fator decisivo para que a burguesia golpista pudesse inflar um candidato de direita nas eleições de 2018 era justamente o impedimento forçado e arbitrário do principal candidato da esquerda, Luí Inácio Lula da Silva.

Não existe anti-petismo, mas uma fraude organizada pelos golpistas (imprensa capitalistas, polícia federal, Poder Judiciário e militares) para impedir que o povo pudesse manifestar sua vontade de eleger Lula, diretamente ligado ao PT.

Após a retirada de Lula do cenário das eleições, com a colaboração de setores da direção do PT que não quiseram levar a candidatura de Lula até o fim, criando uma crise para os golpistas, o terreno ficou livre para manipulação.

A interpretação eleitoral dos votos do Bolsonaro pela imprensa golpista é tão aberrante, que Bolsonaro que sempre foi o candidato que tinha o maior índice de rejeição, quase 50%, agora, segundo os golpistas, é o que consegue atrair uma onda gigantesca de adeptos. Pura enganação!

As eleições de 2018 provavelmente é a eleição mais fraudada da história do Brasil, onde o principal candidato foi proibido de participar e o “espantalho” eleitoral (Bolsonaro), se transformou, graças a toda manipulação produzida (pesquisas, “atentados”, repressão, urna eletrõnica etc) em um “fenômeno” de votos. Se aqui não fosse o Brasil até poderíamos acreditar.