Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
derrotar
|

Com o fim do imposto sindical obrigatório a queda na arrecadação dos sindicatos foi de 88% comparando os valores recebidos nos quatro primeiros meses de 2018 e igual período do ano anterior.

Essa foi uma das medidas aprovadas com a “reforma” trabalhista no ano passado, que, somada à aprovação da lei da terceirização, representam um duro ataque do golpe de Estado em curso no país contra os trabalhadores e suas organizações sindicais.

O objetivo dos golpistas com as medidas é o de enfraquecer os sindicatos e até mesmo inviabilizá-los, a fim de diminuir a resistência dos trabalhadores às medidas de destruição das conquistas sociais e trabalhistas produto de décadas de luta do movimento operário brasileiro.

Os planos maquiavélicos dos golpistas não param por aí. O movimento sindical no Brasil sempre foi um dos principais pilares da organização política da classe operária. Partidos de esquerda como o PT não teriam se colocado na perspectiva de lutar pela conquista do poder político no país, não fosse o papel fundamental cumprido pela classe operária através dos sindicatos e da CUT. Não é por outro motivo, que o berço do PT foi a região operária do ABC paulista e a maior expressão política, provavelmente da história do país até os dias de hoje, seja o ex-presidente Lula.

Portanto, a “reforma” trabalhista além dos altos ganhos que pode obter com o aumento exponencial da exploração dos trabalhadores, cumpre o objetivo de desorganizar a classe operária com o desmantelamento dos sindicatos.

Não cabe a um bando de marginais golpistas que se apossaram do país ditar regras do como os trabalhadores devem usar seus recursos. Os recursos dos trabalhadores e a forma como são usados dizem respeito única e exclusivamente aos trabalhadores e as suas organizações.

É por isso que uma das questões fundamentais para os trabalhadores diz respeito a luta para derrotar o golpe e cancelar todas as suas medidas. Diante do agravamento da crise política da direita está na ordem do dia a construção da greve geral como um instrumento central para alcançarmos nossos objetivos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas