Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Acaba de sair a notícia de que a vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, Marielle Franco, foi executada a tiros na noite dessa quarta-feira, 14. O crime aconteceu no bairro do Estácio.

Segundo informações, um carro emparelhou com o automóvel que trazia a vereadora e o motorista e efetuou os disparos. O motorista também foi baleado e morreu. As primeiras informações eram a de que a vereadora havia reagido a um assalto, mas a versão mais provável agora é de execução.

No final do mês passado, Marielle se tornou relatora da Comissão que irá acompanhar a intervenção federal no Rio de Janeiro.

Mas o mais significativo é que Marielle havia denunciado quatro dias atrás o 41º Batalhão da PM de Acari como o “Batalhão da morte” e denunciou, no dia 13, a morte de um jovem que segundo ela escreveu no Twitter “um homicídio que pode estar entrando para a conta da PM”.

É uma “estranha coincidência” a vereadora denunciar a violência policial e ser vítima de um atentado. O caso marca um fato importante: o golpe de Estado, a presença cada vez maior dos militares com a intervenção impulsionam a extrema-direita, o que resulta na agressão à esquerda. É preciso reagir à altura, organizar comitês de autodefesa e denunciar o golpe.

https://www.causaoperaria.org.br/blog/2018/03/15/vereadora-do-psol-e-assassinada-no-rio-de-janeiro/

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas