A política de golpistas
O reflexo mais perceptível de um governo que é contra a população se destaca na pele dos mais vulneraveis, os jovens brasileiros.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Foto: Fernando Donasci/Folhapress |

O desemprego entre jovens brasileiros de 18 a 24 anos de idade alcançou 27,1% no primeiro trimestre de 2020, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última sexta-feira (15), acima da média geral de 12,2% do país no mesmo período do ano passado. O estudo foi realizado nas 5 grandes regiões, onde a mais afetada foi a região Nordeste, com cerca de 34,1% de desempregados nessa faixa etária.

O aumento da taxa de desemprego é consequência direta do golpe de estado aplicado em 2016. A crise do capitalismo é perceptível no âmbito insustentável que se desenvolve, o governo Bolsonaro busca de todas as formas acabar com a população carente do Brasil em coligação com a burguesia para se manter no poder, atendendo aos interesses dos grandes capitalistas estrangeiros. Os jovens já estavam condenados antes mesmo do coronavírus chegar, estavam condenados por um governo golpista, o agravamento nada mais foi que a antecipação do que já era previsto, um governo que doa seu País a ser quintal do imperialismo é um governo de descaso com a classe trabalhadora.

Trabalhadores vêm sendo jogados no olho da rua com aval dos golpistas, onde os mais atingidos são evidentemente os jovens por terem menos experiência no mercado de trabalho. O esquema criminoso que é a Lava-Jato não só destruiu uma das maiores empreiteiras civis que é a Odebrecht como está matando a passos largos estatais como a Petrobras que recebe golpes duros do governo federal. As mortes por coronavírus apresentam fortemente o caráter maléfico de figuras da extrema direita e suas políticas sociais de descaso com a população empobrecida, o alto número de mortes nos EUA e Brasil apenas reforça nosso discurso de que os direitistas nada mais são que inimigos diretos do povo.

Não é apenas nós que estamos falando, todas as estatísticas mostram a diferença do impacto que o coronavírus teve em países como a Venezuela onde foi mínimo em comparação ao  Brasil, estamos a mercê de assassinos. O número de mortos está escancarado (embora o número real seja provavelmente muito maior), mesmo que a esquerda pequeno burguesa esteja defendendo o “isolamento social” que bem sabemos é o isolamento apenas para quem pode, e “atacando” o governo Bolsonaro em campanhas fúteis online.

Os jovens que dependem de seus empregos estão sendo mandados embora, ou nem chegando a serem contratados por uma falta de mobilização por parte de sindicatos e partidos que necessariamente precisam se posicionar contra essa política em atos presenciais que parem o estado com o grito de socorro da classe trabalhadora, ao contrário das “lives” em redes sociais e falarem o que bem entendem como o ato do dia do trabalhador promovido pela CUT com a presença de golpistas, com a pior espécie de direitistas ao invés de reivindicar mais contratações e rodízio de turnos, para que muitos sejam contratados para serviços essenciais e os que não são continuem recebendo seu salário normalmente, ao contrário dessa postura errônea da esquerda brasileira ficar calados enquanto funcionários dos Correios morrem, os jovens ficam no olho da rua e a direita massacra o povo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas