Siga o DCO nas redes sociais

Movimentos sociais SP
Quase três meses da prisão de lideranças dos sem teto do centro de SP
Mais de 70 dias de prisão de lideranças das ocupações do centro de São Paulo, Doria e Covas estão criminalizando os movimentos, liberdade aos presos
preta ferreira
Movimentos sociais SP
Quase três meses da prisão de lideranças dos sem teto do centro de SP
Mais de 70 dias de prisão de lideranças das ocupações do centro de São Paulo, Doria e Covas estão criminalizando os movimentos, liberdade aos presos
Preta Ferreira – “Onde está a justiça?”
preta ferreira
Preta Ferreira – “Onde está a justiça?”

Os golpistas de São Paulo Bruno Covas, prefeito da capital e João Doria governador do estado de São Paulo estão desferindo mais um ataque ao conjunto da população sem teto.

Ontem ocorreu no conselho Estadual de Habitação do Estado reunião com o objetivo de excluir dos programas habitacionais os Movimentos e Entidades diversas que apoiam ou organizam as ocupações as que vai votar a Resolução que exclui dos Programas Habitacionais do Estado os Movimentos e Entidades que apoiam ou Organizam as Ocupações, o governo dos golpistas do estado e da maior capital da América Latina considera que os trabalhadores e a população, em geral, sem onde morar são criminosos e quem defende esta luta pelo bem estar social do conjunto da população devem apodrecer na cadeia, por isso vem criminalizando todos que se atrevam a ter um pouco de humanidade.

A perseguição é implacável!

São 79 dias onde as lideranças dos movimentos de ocupação do centro de São Paulo estão presos pela máquina judiciária do golpista PSDB, são elas, Janice Ferreira da Silva (Preta Ferreira), Sidnei Ferreira e Edinalva Franco, no início eram quatro lideranças presas, Angélica foi liberada, apesar de presas sem provas, de forma totalmente arbitraria pelo promotor, fascista, Cássio Conserino, do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), seu habeas corpus foi apreciado favoravelmente, no entanto, pelas regras impostas, é como se continuasse presa.

A Preta Ferreira, em entrevista ao GGN, Canal do Youtube, indagou: “Onde está a Justiça?”

“Eu fui presa por combater a injustiça. Isso sempre esteve em minhas veias. Agora bato de frente com ela diariamente”. Refletindo seu sentimento ao estar presa há mais de 70 dias. Todas essas lideranças presas sem que haja qualquer prova é, nada mais nada menos que uma perseguição política implacável aos movimentos sociais, cuja função é a total destruição das organizações de esquerda, cujo objetivo é fechar o golpe que começou com o impeachment de Dilma Rousseff em 2016, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Lula) em abril de 2018 e, tanto o Doria Quanto o Covas São partes integrantes desse ataque.

Disse ainda, “assim como eu, inocente, estou aqui presa, existem outras mulheres, em sua grande maioria negras, presas injustamente. Jogaram a gente em um navio negreiro”…

Sobre a campanha que os movimentos populares fazem por sua liberdade, Preta reforça que a luta não se resume a ela. “Não é só ‘Preta Livre’. São ‘Pretas Livres’”.

Os golpistas do PSDB têm um único objetivo, qual seja, o de criminalizar os movimentos, retirar todos os mais de seis mil moradores nos prédios abandonados às traças e entregar aos capitalistas para especulação imobiliária, ou seja, os mesmos que deixaram de pagar Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) por anos a fio, poderem se beneficiar das melhores condições em que se encontram os prédios agora.

Os movimentos devem se manter organizados, ampliar as mobilizações por todos os cantos do país para derrotar os ataques políticos implementados pelos golpistas, garantir as moradias e libertar todos os presos políticos, como as lideranças das ocupações do centro etc.