Crise social
Enquanto o governo dá trilhões de reais para os banqueiros e capitalistas, ele corta pela metade o valor do auxílio emergencial para a população e exclui metade dos beneficiários
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
fila_auxílio1
Gigantesca fila para saque do auxílio emergencial | Foto: Reprodução

O Ministério da Cidadania do governo ilegítimo e golpista de Jair Bolsonaro divulgou como funcionará o pagamento das parcelas restantes do Auxílio Emergencial nos próximos meses. Segundo informações, 27 milhões de pessoas que não estão cadastradas no Bolsa Família irão receber a prorrogação do Auxílio, cujo irrisório valor é de R$300, metade dos R$600 pagos antes e que já eram quase nada. 

Esse número corresponde a apenas 56,25% das 48 milhões de pessoas que estavam fora do Bolsa Família e haviam sido consideradas aptas a receber as primeiras parcelas do Auxílio.  

É difícil compreender os motivos que levam o governo federal a excluir quase metade dos beneficiários do programa, que mais parecia uma esmola do que um auxílio que pudesse de fato ajudar os trabalhadores a manter sua sobrevivência durante a pandemia do coronavírus. 

Um dos fatores que pode excluir a pessoa de receber a prorrogação do auxílio é o fato de ela ainda não ter recebido todas as parcelas do auxílio emergencial inicial, de R$600. Ou seja, além da pessoa estar desde março lutando e esperando para entrar a “esmola” do governo federal, ela ainda ficará excluída do programa daqui para frente. Um verdadeiro escárnio com o povo miserável do Brasil.

O governo também prevê a revisão dos beneficiários que já foram aprovados, ou seja, a pessoa pode simplesmente perder o benefício para o qual ela havia sido considerada elegível em um primeiro momento. A verificação dos critérios de elegibilidade serão realizadas mensalmente. 

Entre os critérios que poderão excluir as pessoas do novo auxílio de R$300 estão o fato de a pessoa ter menos de 18 de idade, exceto em caso de mães adolescentes, ou seja uma boa parte da juventude do país será colocada para fora do programa; além disso, quem estiver preso em regime fechado também deixará de receber, o que significa que, além de estar sendo esmagado pelo judiciário brasileiro e correndo o risco de morrer de Covid-19 dentro de alguma cela superlotada, o cidadão também se verá excluído deste programa. Estarão também excluídos aqueles que tenham recebido algum programa de transferência de renda do governo, exceto pelo Bolsa Família, após o recebimento do Auxílio Emergencial, como seguro-desemprego ou benefício previdenciário.

Outros critérios foram estabelecidos como óbito ou a obtenção de emprego formal durante o período em que estivesse recebendo o auxílio. Um aumento na renda também poderá excluir a pessoa do Auxílio.

Essa situação mostra como funciona o governo da direita e da extrema-direita, gerido por golpistas, no Brasil: para os banqueiros e capitalistas, trilhões de dólares, para os pobres e miseráveis, em situação de desespero diante da pandemia, trezentos reais. O governo já mata a população dia após dia com sua péssima política de contenção do vírus, e ainda por cima irá matar todos de fome com a diminuição do auxílio e do número de pessoas que o receberão.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas