Santo André
Prefeito do PSDB cessa contratos com terceirizadas e deixa centenas de famílias sem sustento em pleno enfrentamento da pandemia de Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
serra
Foto: J.F.Diorio/Estadão Conteúdo |

A prefeitura de Santo André cessou contrato com a empresa terceirizada Assevo Multi serviços Ltda, que atendia as mais de 80 escolas municipais de Santo André (que neste momento se encontram com as aulas suspensas em razão da disseminação do coronavírus), nos serviços de limpeza e higienizacão das unidades escolares e na sequência a empresa demitiu 479 funcionárias.

As demissões tem gerado amplo repúdio no município, já, ao ponto de várias organizações terem manifestado seu posciomaneto contrário, com tal ação da administração do prefeito Paulo Serra. Entre as instituições que manifestaram seu repugno a esta situação estão o Comitê das Comunidades, que representa 63 comunidades do município entre favelas e conjuntos habitacionais, o Sindserv (Sindicato dos Servidores públicos municipais de Santo André).

A prefeitura anunciou através do diário oficial o rompimento do pagamento no valor de 1.951,380,71. Pelo valor pago se enuncia três crimes da terceirização, o primeiro do enorme lucro que essas empresas terceirizadas tem, pois de acordo, com várias trabalhadoras, o salário de cada funcionária de escola não ultrapassa 1,5 salários mínimos, ou seja, cerca de R$ 1.567,00, multiplicando se o valor pelo total de funcionárias demitidas temos o valor de R$ 750.593,00, ou seja, os patrões da terceirizadas ficam com um caixa de mais de R$ 1,2 milhão. O segundo crime é da prefeitura de Santo André, através do corte da verba de manutenção dessa e de outras terceirizadas, a prefeitura administrada pela direita em Santo André economiza amplamente as custas do sofrimento da população, pois ao não ter funcionários concursados economiza com os pagamentos de direitos aos servidores públicos, e agora colabora com quase 500 demissões, na sua maioria de mulheres, muitas delas chefes de famílias com filhos por sustentar. O terceiro de Jair Messias Bolsonaro, o “escroto” colocado no poder para servir aos interesses do patronato brasileiro e internacional, com decreto emitido há um mês atrás liberando patronato para demitir e cortar salários, contribui de maneira direta contra a vida do povo, com a fome, a miséria e a morte em razão da proliferação do COVID 19.

Há denúncias de demissões também nas demais prefeituras do PSDB, no ABC paulista, casos de São Bernardo, onde a terceirizada Guima demitiu funcionários e em São Caetano, onde a USCS mantida pela prefeitura também colocou funcionários no olho da rua.

É preciso uma greve geral política que derrube todo governo golpista, militar e fascista que tomou o Brasil de assalto.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas