Passe livre dos idosos
Como representantes dos capitalistas, Doria e Covas estão retirando direito a gratuidade de 186 mil idosos nos transportes coletivos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
covas e doria - 05-1-2021
Inimigos do povo | Foto: Reprodução

Dignos das piores atrocidades contra o povo, dois membros do golpista PSDB, ambos de São Paulo, os genocidas, tanto do governo, quanto do município, João Doria Junior, o “científico”, governador do Estado e Bruno Covas, prefeito da Capital, acabam de cometer mais uma atrocidade contra o povo.

Desta vez os ataques estão sendo dirigidos aos mais de 186 mil idosos da capital, os que utilizam o transporte coletivo para se locomover. Os dois resolveram tirar o esse direito. São verdadeiros inimigos da população pobre, a que mais necessita do transporte público que, aliás, deveria ser totalmente de graça para todos.

A medida adotada no dia 23 de dezembro de 2020 impede os idosos que ainda não completaram 65, ou seja, os idosos que tenham entre 60 anos até os que não tenham completado 65, do direito da utilização gratuita, tanto dos ônibus, do Metrô e dos trens da Companhia Metropolitana de Trens Urbanos (CPTM).

A mesma atitude de cercear o direito dos idosos de irem para onde quiserem sem que tenha que dispor do já miserável salário da aposentadoria, os que a têm, pois uma parcela dessa população nem mesmo se dispõe de qualquer valor.

Enquanto que os idosos que, em sua grande maioria, mal conseguem utilizar seu parco salário de aposentadoria com remédios, terão mais uma despesa, a dos transportes coletivos que, em várias localidades, estão sendo reajustados, além de se defrontarem com os aumentos de produtos e serviços, já anunciados.

Quem mora de aluguel, por exemplo, vai ter que amargar um reajuste de 21,97%, de acordo com o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que costuma balizar a variação, cujo período dos últimos 12 meses encerrou-se em outubro”.

Assim como ocorreu no ano de 2020, os preços dos produtos mais básicos à população, como o pão, leite e ovos também vai aumentar em São Paulo. No ano passado, conforme dados apresentados pelo IPEA, a inflação dos mais pobres acelerou 5,8% nos últimos 12 meses, porque comer em casa ficou 15,1% mais caro neste ano, devido ao reajuste acumulado por produtos como óleo de soja (94,1%), arroz (69,5%), feijão (40,8%), leite (25%) e carnes (13,9%).

É como disse Andreia Lameiras, pesquisadora do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), “No ano que vem vários itens não vão dar alívio inflacionário” e com a ajuda do governador Doria e do prefeito Covas, a situação da população em geral, mas principalmente os idosos que estão sendo retirados o direito à gratuidade dos transportes terão a situação, ainda mais prejudicada.

Para mim tudo

Após cinco dias em que os idosos receberam o “presente de grego” da proibição da gratuidade nos transportes coletivos, dos dois golpistas do PSDB, que hoje, devido ao total descaso com o conjunto da população vêm fazendo com que, tanto o município quanto o estado de São Paulo tenham o maior número de infectados e mortos pelo coronavírus do País, um deles, Bruno Covas foi agraciado com um reajuste salarial de quase 50%.

O cinismo e a cara de pau do “civilizado” Bruno Covas, que tem total desprezo pelo conjunto da população e que teve o reajuste em seu salário 46,6%, que passará de R$ 24,1 mil para R$ 35,4 mil em 2022, elevando em mais de R$ 11,2 mil mensais sua remuneração, disse que é “importante” para elevar o teto salarial na cidade e evitar a perda de servidores municipais. Uma falácia diante dos ataques aos aposentados que foi aprovada na sua primeira gestão na prefeitura.

A atitude dos atuais governantes do maior estado e capital do país é digna de total repulsa, principalmente diante de mais esse ataque àqueles que sequer têm dinheiro comprar de remédios, devido a cada vez mais achatada aposentadoria desses idosos que esses mesmos representantes do grande capital vêm reduzindo, a cada dia que passa.

As eleições e a continuidade do golpe na população

No período eleitoral, bem como em entrevistas, Boulos não tratava o representante do partido que articulou o golpe de Estado no País como um inimigo de classes, mas como um dos seus, ou seja, o que está deixando quase 200 pessoas sem o direito que lhes é garantido da utilização dos transportes coletivos em São Paulo, que querem colocar alunos, funcionários e professores para serem contaminados e mortos, em aulas presenciais, como uma pessoa educada, ou coisa que o valha.

É preciso lutar contra as atrocidades proferidas pelo Doria e Bruno Covas, por isso é necessário organizar, juntamente com todos os servidores do estado e municípios, bem como o conjunto da população do município e estado, sob a direção da CUT uma luta implacável por fora Doria e fora Covas já nesse inicio de ano.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas