Putin aproveita crise entre EUA e Arábia Saudita para se aproximar do governo saudita

putin

Diante da crise surgida na Arábia Saudita causada pelo desaparecimento do jornalista, Jamal Khashoggi, do Washington Post (jornal imperialista), quando este entrou no consulado do país em Istambul (Turquia), as contradições políticas vêm se acirrando. O presidente norte-americano, Donald Trump, parece estar alinhado com a política do príncipe Bin Salman, que por conta da tentativa de desenvolvimento do capitalismo do país, está sofrendo pressões do imperialismo.

O próprio Trump deve estar sendo pressionado internamente pela burguesia norte-americana a adotar uma política minuciosa de pressão contra o governo saudita. Mas fora as especulações, que precisam ser analisadas para serem comprovadas (ou não), há interesses concretos se desenhando.

O governo turco, de Recep Tayyip Erdogan, está pressionando o governo para que este dê fim à política de financiamento, à mando dos norte-americanos, dos grupos curdos na fronteira da Turquia com a Síria.

Já uma nova coordenada vem aparecendo. Recentemente o chefe de estado russo, Vladimir Putin, disse que não vê razões para degradar a política de relações com a Arábia Saudita sem uma investigação completa dos acontecimentos. Putin também denunciou o porquê de os Estados-Unidos não terem levantado sanções contra o país, sendo que a Rússia foi prejudicada pelo suposto uso de armas químicas, que não foi provado.

De qualquer forma, Putin parece estar se utilizando da fragilização entre os Estados Unidos e os sauditas para fortalecer a relação entre os dois países orientais, da mesma forma que aconteceu com a Turquia após o golpe fracassado do imperialismo no país. Uma mudança diplomática pode ser extremamente prejudicial à política do imperialismo. Na Turquia, os norte-americanos perderam um importante aliado. No caso da Arábia Saudita seria ainda mais prejudicial, já que o país é o principal pilar da opressão imperialista no Oriente Médio.

Por isso, os norte-americanos estão procuram não criar uma crise muito grande com o fato pois as coisas podem dar uma reviravolta que não condiz com seus interesses. Assim sendo, este caso ainda nebuloso precisa ser acompanhado e estudado para ver as consequências destes acontecimentos.