PSOL
Entrevista de Luciana Genro com a “sumida” Heloisa Helena revela que o PSOL insiste na tese que não houve golpe da direita para tomar o poder e que o povo apóia Bolsonaro
heloisa helena
Heloisa Helena e Luciana Genro expressam a confusão política do PSOL | Imagem: reprodução

No dia 4 de julho, a deputada do Psol Luciana Genro entrevistou a ex-senadora pelo Estado de Alagoas pelo Psol, Heloísa Helena. Heloísa Helena não é mais filiada ao partido e está longe dos holofotes.

A entrevista se deu como uma conversa de amigas e de muita bajulação e contação de “causos” sem importância e mostrou que o Psol e Heloísa Helena continuam com concepções políticas que revelam a paralisia total na luta contra o golpe, a direita e Bolsonaro.

Heloísa Helena e Luciana Genro afirmaram que essa polarização “entre dois homens” no Brasil é uma farsa. Não explicam por que seria uma farsa, mas explicam que a polarização não existe e é criada pelos dois campos para evitar novas posições políticas, como as do Psol.

Outra concepção absurda é que o PT foi um dos responsáveis pela criação de Bolsonaro.

Eu acho que a gente tem um balanço a fazer que esse momento que a gente vive com Bolsonaro também tem um grau de responsabilidade do que está ocorrendo hoje em relação àquele momento. Porque foi naquele momento que se iniciou o processo de degeneração dessa velha esquerda que acabou ajudando a fortalecer a extrema-direita, afirmou Luciana Genro.

“Quem preparou a terra para que se conseguisse germinar no coração do povo brasileiro uma figura como Bolsonaro não fui eu”, disse Heloísa Helena.

Heloísa Helena chega a afirmar que o “mesmo povo conseguiu eleger eles (PT) duas vezes, 8 anos de mandato, elegeu Bolsonaro”. Uma tese absurda que serve apenas para esconder o golpe em 2016, a perseguição política a Lula e ao PT, a fraude nas eleições e o papel ativo da operação golpista Lava Jato.

A entrevista até parece uma tentativa de “reciclar” Heloísa Helena, que após as eleições presidências em que foi impulsionada pela direita para tirar votos do PT e atacar esse mesmo partido, ficou evidente sua política direitista e de uma frente com a direita.

Outra conclusão que podemos tirar após essa entrevista é que o Psol não faz nada na luta contra a direita e o governo Bolsonaro porque acredita na tese de que não houve golpe em 2016 e muito menos que houve uma fraude nas eleições em 2018 que levou Bolsonaro a presidência. Como foi dito na entrevista, Jair Bolsonaro seria fruto da política de conciliação do PT e não um produto da burguesia.

Ainda acreditam que o povo “votou” e apoiou Bolsonaro. É um dos motivos por que não mobilizam os trabalhadores e apenas correm atrás do STF, Congresso Nacional e a direita “civilizada” da frente ampla.

Essa é a ideologia de uma ampla parcela do Psol, aqui extravasada por Heloísa Helena e Luciana Genro, e que somente vai levar o partido a se aproximar ainda mais da direita golpista por meio da Frente Ampla, que Guilherme Boulos apoia incondicionalmente e está inserindo essa politica de Cavalo de Troia dentro do movimento de luta pelo Fora Bolsonaro.

Relacionadas