PT e Frente Brasil Popular repudiam ataque imperialista contra Nicolás Maduro

Nicolas_Maduro

Da redação – O atentado a bombas ocorrido no último sábado contra o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi recebido com duras críticas por parte de grande parte da esquerda brasileira, incluindo o PT e a Frente Brasil Popular.

O partido do ex-presidente Lula, tendo como líder mais um político constantemente atacado pelo imperialismo e pela imprensa golpista, denunciou que “as pretensões de violência que buscam alterar as decisões democráticas do povo da Venezuelapretensões essas que atentam contra a paz na Venezuela e na região latino americana e caribenha. Seguimos atentos na defesa intransigente dos pressupostos da Proclamação de América Latina como Zona de Paz aprovada em 2014 pela CELAC- Comunidade de Estados Latino Americanos e Caribenhos. Expressamos nossa solidariedade ao legítimo presidente Nicolás Maduro e ao povo venezuelano.”

Já o conjunto de movimentos sociais unificados na Frente Brasil Popular, como o MST, registraram sua indignação contra o ataque imperialista numa nota com os seguintes dizeres:

“As forças do capital no império dos Estados Unidos já assassinaram muitos lideres populares na América Latina ao longo do século XX para manter seu poder e seguir nos explorando. Basta lembrar de Sandino, Torrijos. Até mesmo dentro dos Estados Unidos, como aconteceu com Malcom X e Luther King. Porém isso nunca conseguiu deter a força de nossos povos em seguir lutando por sociedades mais justas e igualitárias. Esse atentado ao Presidente Maduro, que felizmente saiu ileso, reforçará ainda mais o processo bolivariano e a vontade de soberania de todos os povos latino-americanos. Daqui do Brasil, em nome do Movimento dos Trabalhadores Rurais (MST) e de todos os movimentos populares reunidos na FRNETE BRASIL POPULAR, manifestamos nossa indignação em relação ao atentado e nossa solidariedade ao Presidente Maduro e ao povo venezuelano. Seguiremos ainda mais alertas e anti-imperialistas!”

Devemos nos juntar a estas frentes de esquerda para condenar o atentado dos poderosos grupos econômicos contra os líderes da América Latina, pois o imperialismo pretende tornar este continente uma fonte de renda inesgotável para continuar recebendo lucros fáceis às custas do massacre dos povos latinos e das riquezas naturais abundantes.