PT denuncia o complô na Operação Lava Jato contra Lula

lula-sbc-1-e1523390038801

Da redação – Passados mais de 100 dias da prisão ilegal de Lula, vem à tona mais uma arbitrariedade cometida contra o ex-presidente. Essa agora diz respeito ao habeas corpos concedido pelo juiz de plantão no TRF-4 naquele dia 8 de julho de 2018. Agora sabemos, por uma nota publicada na revista Veja, que o delegado geral da Polícia Federal foi pressionado a não cumprir a ordem judicial proferida por aquele juiz de plantão, agindo dessa forma fora da lei. Passaram por cima da competência do desembargador de plantão naquela ocasião, Rogério Favreto.

Em razão disso o PT denunciou publicamente a perseguição judicial a que o presidente Lula esta submetido, nenhuma lei no Brasil, segundo a nota, tem o mínimo valor, visto que o simples cumprimento de um habeas corpus não é cumprido.

Por pressão pessoal de um juiz de férias hierarquicamente inferior, de um chefe de polícia e de um presidente de tribunal, que agem seguindo sua própria vontade e não a letra fria da lei, os direitos  básicos de um cidadão são simplesmente ignorados.

Como podemos ver, nem Lula, nem o PT, e ninguém que esteja fora do círculo de poder dominante tem os seus mínimos direitos garantidos. Agora ficou mais claro e explícito. A lei no Brasil não existe a não ser para prejudicar os inimigos da burguesia e ajudar aos amigos dos poderosos.

Segue abaixo link da nota do PT:

http://www.pt.org.br/nota-do-pt-agentes-de-estado-confessam-abuso-de-poder-contra-lula/