PT convoca golpistas do judiciário para explicar palhaçada ao Congresso

gleisi

Da Redação – O Partido dos Trabalhadores anunciou, nesta quarta-feira (15), uma ofensiva de convites e convocações no Congresso a “autoridades” envolvidas no episódio em que foi concedido –-e depois negado– um habeas corpus a Lula, que está preso desde 7 de abril.

As bancadas de senadores e deputados do partido apresentaram, cada uma, quatro requerimentos para sabatinar no Congresso a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro.

A iniciativa é uma reação do partido à entrevista publicada no domingo do diretor-geral da PF ao jornal O Estado de S. Paulo, em que Galloro relata as idas e vindas no dia 8 de julho, um domingo, em que foi concedido o HC ao ex-presidente.

Na ocasião, o desembargador plantonista do TRF-4, Rogerio Favreto, concedeu liminar determinando a soltura de Lula e provocou um troca-troca de telefonemas entre as “autoridades” sobre a possibilidade de soltura do ex-presidente. Até Moro foi acionado por telefone, de férias em Lisboa.

Segundo Galloro, pouco depois de comunicar Jungmann que iria soltar Lula em cumprimento à decisão judicial, foi a vez de Dodge telefonar-lhe para avisar que iria apresentar recurso contra a soltura. Em seguida, relatou o diretor-geral, foi a vez de uma ligação do presidente do TRF-4 “determinando” que Lula não fosse libertado. Tudo nas coxas!

“Eles têm que esclarecer à nação, ao Congresso Nacional, ao povo brasileiro o que aconteceu naquele dia. Não se trata de discutir decisões de juízes ou atos de ofício do Ministério Público… tem a ver com o comportamento administrativo e político que tiveram nos bastidores.”, disse a senadora e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR).