PSDB trabalhando: hospital da Zona Norte de São Paulo dispensa pacientes por falta de médicos

mandaqui

O Conjunto Hospitalar do Mandaqui, na Zona Norte de São Paulo (SP), fechou provisoriamente o setor de triagem na última segunda-feira (dia 06). Estavam sendo atendidos somente quem chegava na emergência através do resgate do Corpo de Bombeiros e pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Esse hospital pertence à rede estadual, que se encontra sob a gestão de João Doria (PSDB), e atende casos de alta complexidade.

Três funcionárias da recepção do pronto-socorro informavam a quem chegava no local de que não seriam atendidos. A porta da sala de classificação de risco esteve fechada pela manhã e parte da tarde.

Algo que também chamava a atenção de quem chegava no pronto-socorro é o fato de as cadeiras na recepção estarem vazias: o que é incomum nas segundas-feiras.

Contudo, mesmo sendo dispensados, ainda se podiam ver pacientes deitados em macas espalhadas pelos corredores: homens, mulheres e idosos dividiam o mesmo espaço com funcionários de saúde e com o pessoal da limpeza, que cruzavam os corredores com sacos de lixo na mão, bem próximos aos pacientes.

Essa é a política da direita: a mesma que deu o golpe de  Estado e que está retirando conquistas dos trabalhadores e atacando os direitos democráticos da população. O resultado não poderia ser diferente: precarização do sistema de ensino; hospitais que, por falta de médicos, não realizam atendimento e que sofrem com falta de remédios; aumento brutal do índice de desemprego e da miséria; problemas de infraestrutura em prédios, viadutos e avenidas que terminam por atingir a população, ocasionando acidentes, tragédias e mortes; etc.

É necessário reagir contra esse verdadeiro massacre da população. Não com uma política conciliadora com os golpistas, mas com a mobilização popular, levando o povo às ruas, para, assim, derrotar a direita, cuja relação para com o povo só consiste em demagogia e promessas vazias, e cujo único plano é fazer a população pagar pela crise dos grandes capitalistas.