Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit

Com o Estado de São Paulo liderando nos casos de febre amarela, despesas com vigilância ficaram quase R$ 120 milhões abaixo do previsto para 2017.

Enquanto a doença oriunda da região Norte avança no Sudeste fazendo um grande número de vítimas pois ela tem uma letalidade de 30% a 40% em relação a outras doenças como a dengue, o governo de São Paulo e o prefeito de São Paulo ambos do PSDB têm uma política exatamente o contrário, pois diminuem as despesas para combater a Febre Amarela.

As verbas estaduais ficaram 120 milhões abaixo dos 334 milhões previstos no orçamento para 2017, o que podemos entender que os 214 milhões devem estar relocados para alguma atividade menos importante do que a vida de milhões de pessoas.

A medida pode prejudicar a aplicação de inseticida e controle de focos do mosquito Aedes Aegypti, que pode causar um grande impacto no controle das doenças como dengue e chikungunya e zika e na transmissão da Febre Amarela urbana, que pode ser o próximo passo da endemia que foi erradica na primeira metade do século XX.

Gastos

Na gestão do governo Alckmin os gastos com combate a doenças transmitidas por vetores caíram entre 2016 e 2017, exatamente nos anos dos golpistas, de 86 milhões para 70 milhões de reais. Na área de vigilância com a saúde houve uma queda de 15% em São Paulo. Nesta área as despesas caíram de 86 milhões para 70 milhões, com uma redução de 9%.

O Ministério da saúde também teve uma redução para São Paulo relativo ao piso fixo tiveram uma redução de 8%, de 238 milhões para 218 milhões. Em relação ao país houve um pequeno aumento de 1,93 bilhão de reais, para 1,94 bilhão de reais.

Enquanto procura colocar a culpa na população, os governos direitistas cortam as verbas em infraestrutura e saúde. Esta é a verdadeira causa do aumento nos casos da doença.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas