Untitled-2

Páginas ligadas ao PSDB atacaram o PCO por ter criticado a politica colonialista do imperialismo europeu em sua imprensa. Na tarde de hoje uma matéria foi publicada neste site, onde afirmamos que a “preocupação” com o meio ambiente é apenas uma justificativa para favorecer uma possível intervenção do imperialismo no Brasil e nos outros países da América Latina que têm uma parcela da floresta em seus territórios. Uma arte com essa polêmica também foi veiculada nas redes sociais do partido:

No Instagram, a pagina Quebrando o Tabu publicou um print da página do PCO no Twitter, e comentou que “os extremos sempre se encontram”. O que eles buscam é duas coisas, impedir que a esquerda se mobilize em defesa da Amazonia e esconder a posição entreguista de Bolsonaro.

Bolsonaro não é anti-imperialista, ele mesmo disse, em 2018, que a Amazonia não é nossa, numa clara posição entreguista. Ao comparar a posição de Bolsonaro com a do PCO, partido que defende que a Amazonia é problema dos brasileiros, querem esconder o fato de que Bolsonaro é um entreguista.

Usam a posição falsamente nacionalista de Bolsonaro para deixar a esquerda intimidada em defender a Amazonia da ingerência estrangeira.

O Catraca Livre também tirou uma matéria sobre o assunto, onde afirma que “apoiado por fãs do presidente Jair Bolsonaro, e retaliado pela outra parte da sociedade, o PCO ganhou notoriedade nas redes”.

Ambos os sites dão a entender que a posição anti-imperialista defendida pelo PCO é compartilhada pelo bolsonarismo – o que é um absurdo ao considerarmos a política de entreguismo e subserviência do governo federal perante EUA e UE – e que a preocupação de Emmanuel Macron, Boris Johnson e Angela Merkel com as queimadas na Amazônia são verdadeiras, legítimas e inocentes.

Importante destacar que o termo imperialismo foi usado em aspas pelo Quebrando o Tabu, que, por se tratar de um veículo de comunicação ligado ao PSDB, é um franco apoiador e apaixonado defensor do próprio imperialismo.

A polêmica alcançou os trending topics do Twitter na tarde de hoje (23/08), sendo compartilhada por milhares de perfis através da hashtag #AtéOPCO, e foi mencionada por outros sites da imprensa capitalista como O Povo.