Ação imperialista
Mais um drone da Força Aérea de Israel, em atividades ditas operacionais na fronteira entre os países, foi derrubado no sul do Líbano
drone
Os drones são atualmente dispositivos de sonda muito comuns em ações militares | Foto: Reprodução.
drone
Os drones são atualmente dispositivos de sonda muito comuns em ações militares | Foto: Reprodução.

O Estado de Israel continua promovendo ações militares no Líbano. Mais uma vez a provocação foi com envio de drone. Nesta segunda-feira, 1º de fevereiro, mais um drone da Força Aérea de Israel, em atividades ditas operacionais na fronteira entre os países, foi derrubado no sul do Líbano. O grupo Hezbollah assumiu a responsabilidade pela queda do dispositivo não tripulado. As Forças de Defesa de Israel (FDI) confirmaram a informação da queda, mas não explicaram as causas do acidente. A FDI disse ainda que não existe possibilidade de perda de dados de inteligência. O aparelho, com capacidade para operar durante a noite, é, segundo a FDI, um modelo pequeno e usado em missões simples.

Esse incidente ocorre em momento tenso entre o Hezbollah e Israel, que é acusado de assassinar um membro do grupo islâmico, em ataque aéreo à Síria em julho do ano passado. O Hezbollah jurou vingança e de lá para cá os israelenses vivem em constante estado de alerta, mas promovendo essas invasões no espaço aéreo dos países vizinhos.

O Líbano também vive em tensão. Em 4 de agosto de 2020, o país sofreu uma violenta explosão em depósito de nitrato de amônio, cujos responsáveis ainda não vieram à tona. Com mais de 191 mortos, 6,5 mil feridos, prejuízo financeiro de cerca de 15 bilhões de dólares, muita demagogia por parte das potências europeias e quase nada fora feito para reconstruir Beirute, capital do Líbano.

 

Breve histórico do Hezbollah contra o imperialismo

O Hezbollah, partido de Alá em árabe, é uma organização política paramilitar, chamada de xiita, transnacional, que fora fundada antes da Revolução Iraniana de 1979. No Irã auxiliou o líder Khomeini, atuou nas ruas e confrontou os contrarrevolucionários.

O Hezbollah no Líbano tem uma importante atuação em serviços sociais, em educação, saúde e agricultura. É um movimento de resistência, aprovado por boa parte do mundo árabe e islâmico. Já alguns países imperialistas como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Israel, dentre outros, consideram o Hezbollah como uma organização terrorista. A União Europeia também assim o considera em relação ao seu braço armado.

No Líbano o Hezbollah surge em 1982 como uma milícia  em resposta à invasão de Israel ao país e assim resistiu por muito tempo.

De pequena milícia, hoje o partido do Hezbolah já tem assento no parlamento libanês, programas sociais, rádio e televisão.

Nos anos 2000 o Hezbollah levou Israel a desocupar o sul do Líbano, ganhando muita popularidade entre os xiitas, mas tem sido criticado pelos sunitas devido ao seu envolvimento na guerra civil da Síria, em apoio a presidente nacionalista Bashar Al Assad (presidente sírio que está há 20 anos no poder).

É preciso se opor a todo tipo de ingerência imperialista e sionista no Oriente Médio, que tem como objeto submeter os países atrasados através da instabilidade política e da violência. Os países dessa região só podem se desenvolver sem a manipulação e interferência dos países imperialistas.

Relacionadas
Send this to a friend