Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
2019-06-04T094648Z-2141129521-RC16A8C625B0-RTRMADP-3-USA-TRUMP-BRITAIN
|

Assim como já haviam feito na primeira visita de Donald Trump ao Reino Unido, no ano passado, os britânicos voltaram a levar um boneco gigante do presidente americano em protestos de rua que realizam desde a sua chegada para uma nova visita, na segunda-feira (03).

Centenas de manifestantes protestaram em Londres nessa terça-feira contra Trump, por todas as suas posturas e medidas de extrema-direita, como, por exemplo, no que tange à Grã-Bretanha, ter se posicionado a favor do líder de extrema-direita Nigel Farage e do ex-ministro de Relações Exteriores Boris Johnson.

Por sua vez, a esquerda institucional repudiou a visita de Trump e se recusou a se reunir com ele. O prefeito de Londres, Sadiq Khan (primeiro muçulmano a assumir tal cargo), trocou farpas com o presidente norte-americano, embora, como uma esquerda pequeno-burguesa, suas críticas tenham um caráter mais moral do que de denúncia da política semifascista e imperialista do governo dos EUA. O deputado Jeremy Corbyn, secretário-geral do Partido Trabalhista (o mesmo de Khan), se recusou, junto a outros opositores, a participar de uma cerimônia oficial com Trump.

O líder imperialista se reuniu também com a primeira-ministra britânica, Theresa May, e com a rainha Elizabeth II, para comemorar os 75 anos do desembarque na Normandia e fazer acordos comerciais aproveitando o processo de saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit).

EUA e Reino Unido são dois países imperialistas, mas nas últimas décadas, especialmente desde o final da Segunda Guerra Mundial, os britânicos têm se enfraquecido sobremaneira e, ao contrário, os norte-americanos vinham de fortalecendo. Isso fez com que, com a Europa devastada (incluindo a Grã-Bretanha), os EUA ganhassem com a recuperação econômica do continente. Além disso, seguiu-se à guerra o processo de independência de diversas colônias britânicas, o que ajudou no rompimento do poderio britânico. Há décadas o império britânico decadente atua como um auxiliar do domínio norte-americano sobre os países oprimidos, como foi o caso da invasão do Iraque e das atuais ameaças contra o Irã.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas