Proibido divulgar informação: em Porto Velho, homem preso por noticiar blitz explicita estado policial

rn (1)

Da redação – Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam no final da tarde de ontem (26) um homem que divulgou através de um aplicativo de mensagens de celular uma blitz que estava sendo realizada no km 58 da BR-319 – Imigrantes – em Porto Velho (RO).

O homem foi preso por tirar uma foto e enviar em um grupo de aplicativo de mensagens. Segundo os policiais, eles realizaram abordagem por desconfiar de atividade suspeita e pressionaram – com certeza ao melhor modus operandi da corporação, com violência -, até que o mesmo dissesse algo para ser preso.

As acusações que a imprensa burguesa – defensora da polícia – apresenta, são de que o rapaz utilizava tornozeleira, que tirou uma foto, e assim, justificaria enviar mais uma pessoa para as superlotadas masmorras brasileiras. Pautada na lei burguesa, acusaram o rapaz de atentar contra a segurança pública, um completo absurdo.

Com o país nas mãos dos golpistas é preciso denunciar amplamente que isso tende a se repetir. A justiça que prendeu Lula sem provas pode pegar todos que interessarem como suspeitos, enquadrar como terroristas, levando para as masmorras prisionais com quaisquer argumentos. As pessoas tem que ter liberdade de expressão de divulgar o que quiserem, inclusive, advertir os companheiros de estrada sobre uma blitz em determinado lugar que as quadrilhas da multa realizam para captar fundos e endividar trabalhadores. A prisão desse rapaz revela que o Brasil é uma ditadura com ares democráticos. Isso se aprofundou com o golpe.