Programa Menos médicos de Bolsonaro: desistências aumentam com desligamento de mais de mil médicos

maismedicos2

Com os ataques do governo de Bolsonaro à Cuba, que levou ao fim do acordo entre Brasil e o país cubano, o programa Mais Médicos está sendo cada vez mais sucateado com a debandada dos profissionais brasileiros. Dados do Ministério da Saúde informam que, até o mês de Maio, 1.325 profissionais se desligaram do programa.

A desistência de 19% dos inscritos do programa deixou diversas cidades sem assistência médica, na Grande São Paulo, por exemplo, são 106 vagas ociosas em 19 cidades. Um novo edital lançado pelo Ministério da Saúde tem como objetivo atender 790 municípios de difícil acesso, principal objetivo que havia levado à contratação dos médicos cubanos, para suprir a falta de atendimento nos destinos mais vulneráveis.

A constante abertura de editais para o programa demonstra a dificuldade em preencher as lacunas dos cubanos, e que ao deixar sem atendimento milhões de pessoas, o governo golpista pode causar milhares mortes que poderiam ser evitadas com atenção à saúde básica.

O programa de destruição do governo golpista está deteriorando rapidamente as condições de vida da população, sucateando e privatizando os serviços públicos mais básicos, fazendo com que seja impossível suportá-lo por mais tempo. Bolsonaro precisa ser derrubado pelo povo enquanto a crise reina no país, antes que concretize a completa destruição do Brasil.