Descaso com os trabalhadores
Enfermeiros, médicos, farmacêuticos e outros contratados para lutar contra coronavírus ainda não receberam seu primeiro salário.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
greve saude maio GRANDE
Protesto dos residentes da saúde em frente o Ministério. Fonte: Divulgação. |

Da redação – Profissionais da saúde contratados em 2 de março para combater o coronavírus decidiram entrar em greve ontem (11). O motivo é que estão sem receber o salário de R$2,8 mil prometido pelo ministério da saúde há 2 meses, ou seja, nunca receberam um centavo.

Há cerca de 10 mil profissionais atuando como residentes nesse contingente que foi contratado no momento da pandemia. Entre eles há médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos e assistentes sociais. Eles também aguardam um extra de R$667 mensais, prometidos por Bolsonaro.

Na manhã de ontem, fizeram um manifestação em frente ao Ministério da Saúde em Brasília. Os grevistas manifestantes se queixam, não só de não receberem o salário, mas também da ausência de EPIs adequados.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas