Em Porto Alegre, professores prestam concurso mas não são chamados

unnamed

Há dois meses atrás, a Prefeitura de Porto Alegre fez um concurso para professor de Educação Infantil e Anos Iniciais. A prova foi realizada e o gabarito divulgado, mas ninguém foi chamado ainda.

A prefeitura alega que falta recursos, por isso, a seleção foi interrompida porque a prefeitura de Porto Alegre está com repasses atrasados à Fundação La Salle, contratada para executar o concurso.

O valor pago na taxa pelos milhares de professores do recurso foi retido nos cofres públicos e não foi para a entidade que realizou a prova, a Fundação La Salle foi contratada para executar o serviço pelo valor milionário R$ 326,7 mil.

Para o encerramento do concurso, faltam as etapas de correção da redação, recurso, apresentação de títulos e a homologação do concurso.

Tudo mentira, pois há muitos municípios que realizam concursos para encher os cofres públicos. Outro problema é a política de privatização e terceirização promovido pelo pelos golpistas que tomaram o poder através do impeachment de Dilma Rousself o concurso está na contra-mão do objetivos desses governos, inimigos da Educação.

Com a mobilização de todos os excluídos e atingidos pelo golpe de 2016 que tirou diversos direitos da população, vamos derrotar essa política de rapina e enganação como esse e outros concursos que não vão a diante.