Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
SAO PAULO, BRAZIL - MAY 04: Participants march in the Eighteenth Gay Pride Parade in Sao Paulo on May 4, 2014 in Sao Paulo, Brazil. Demonstrators protested in favor of the criminalization of homophobia in the country and the promotion of  human rights for transsexuals. (Photo by Victor Moriyama/Getty Images)
|

A participação de sindicatos e movimentos sociais foi restringida na 22ª Parada do Orgulho LGBT, na Avenida Paulista, no último domingo, dia 3, apesar de o tema da edição deste ano ser ´´Poder para LGBTI+, nosso voto, nossa voz“, a ONG APOGLBT-SP que organiza o evento, colocou oposição aberta à participação dos movimentos sindicais dos trabalhadores no evento.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), declarou seu repúdio a essa ação pois os movimentos sindicais se organizaram para participar politicamente do ato. Ainda segundo a central, a associação colocou que para a participação da central, seria obrigatório o pagamento de uma taxa, que foi considerada abusiva pela entidade.

Apesar da censura professores da APEOESP e outros grupos participaram protestando contra o golpe e pela Liberdade de Lula, levando faixas. A APEOESP em nota denunciou que a ONG é ligada ao PSDB.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas