Procurador geral de SP toma para si inquérito de golpista

Foto Luiz Flavio _ Paraisópolis News (5)_640x427

Em 2017 foi aberto um inquérito pelo Ministério Público para averiguação dos altos gastos que o governo de São Paulo apresentou, durante 2015, com despesas referentes a alimentação. O golpista Geraldo Alckmin -PSDB-, em sua gestão, gastou, em apenas um mês, 32 mil reais (apenas para alimentação). É importante ressaltar que o PSDB, partido que usa 32 mil apenas para despesas com comida e bebida no palácio, em SP, foi o mesmo partido acusado por fraude na merenda, na qual mais de R$38,9 milhões foram desviados.

O procurador geral de justiça do estado, Gianpaollo Smânio requisitou, para si, um inquérito que objetiva averiguar os gastos com alimentação nos Palácios Bandeirantes (sede do governo e residência oficial do golpista) e Boa Vista (residencia oficial de inverno do golpista). Assim retirou da Promotoria do Patrimônio Público o inquérito referente ao governador Geraldo Alckmin, suspeito de caixa dois, que deixou o cargo para concorrer nas próximas eleições.

O pedido realizado por Gianpaollo ocorreu em abril, 12, menos de uma semana depois do golpista deixar o cargo, perdendo, assim, o foro privilegiado. Como justificativa, diz estar atendendo pedidos oriundos de Saulo de Castro (secretário do Governo). O objetivo é claro: livrar o golpista de mais uma série de acusações contra seu governo corrupto, objetivando, também, não atrapalhá-lo nas campanhas eleitorais desse ano.

Os gastos apresentados revelam um verdadeiro absurdo. Só com a compra de pães, por exemplo, em apenas um mês, foram gastos R$4.7747,47. Bebidas no geral foram R$620,00 e carnes R$10.272,23. A cara de pau do golpista é tamanha que, apenas com pães, gasta mais 5x mais do que o valor do salário mínimo dos trabalhadores. Essa corja é a mesma que reclama dos programas como Bolsa Família, cujo teto máximo é de R$195,00.

O recolhimento da investigação demonstra que, quando se trata dos golpistas da direita, nunca há “crimes”. Ou seja, quando se é do partido tucano, sempre se escapa numa boa. Enquanto Lula, de esquerda, é um preso político sob a ditadura da direita, sem provas de crime cometido, Alckmin concorre às eleições sem nenhum prejuízo.