Pró-imperialista, Bachelet acusa China por violência em Hong Kong

Nesta terça (13), a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet, pediu uma “investigação imparcial” sobre uma suposta repressão às manifestações pró-imperialistas em Hong Kong. Segundo a agência de notícias britânica Reuters, a polícia usou spray de pimenta contra manifestantes que ocupam o aeroporto da cidade há cinco dias.

De acordo com Bachelet, deve-se investigar o uso de gás lacrimogêneos como “maneiras proibidas” pela lei internacional.

A posição de Bachelet condiz com as investidas do imperialismo contra a China, pintando o País como brutal e “ditatorial”. Membro da esquerda nacionalista chilena, a Comissária da ONU também apoia o golpe na Venezuela, tal como sua Organização.

Por fazer parte da esquerda chilena, Michele Bachelet empresta um “ar democrático” a todas estas investidas contra os países que não alinham-se com o imperialismo.