Privilégios: para servos da burguesia o “salário-esposa”, para funcionalismo o “salário de fome”

camara

Da redação – A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta semana o reajuste dos servidores do Tribunal de Contas do Município (TCM),  além de criar dois novos benefícios e reajustar o “salário-esposa” que havia sido barrado.

O benefício chamado de “salário-esposa” foi concedido aos servidores homens que são casados ou vivem junto com mulheres que não trabalham. A lei municipal que concede este privilégio data de 1979. No estado, a lei é de 1968, e, caso o prefeito golpista, Bruno Covas (PSDB), sancione a lei aprovada, os servidores do TCM terão aumento de 2,84% no salário.

Estes benefícios chegarão ao aumento de R$ 16 milhões no orçamento do TCM por ano, enquanto os golpistas dizem que a crise é profunda e que não há condições de pagar o aumento da inflação do funcionalismo público.

O fato de que estava barrada vem de São Carlos, no interior do estado, onde o Ministério Público (MP) entrou com ação dizendo que o “salário-esposa” é inconstitucional e um juiz acatou em caráter provisório. Assim sendo, o benefício estava suspenso na cidade desde dezembro do ano passado.

É importante ressaltar que para professores e servidores, o aumento na inflação está sendo retirado pelos golpistas.