Siga o DCO nas redes sociais

“Modernização” do futebol
Privatização do futebol: Botafogo prestes a se tornar clube-empresa
Avança o projeto de tornar o futebol em clube empresa. Fora capitalistas do futebol!!
botafogo
“Modernização” do futebol
Privatização do futebol: Botafogo prestes a se tornar clube-empresa
Avança o projeto de tornar o futebol em clube empresa. Fora capitalistas do futebol!!
Torcida, o maior bem e verdadeira solução dos clubes contra crises/ Fonte: twitter de Botafogo
botafogo
Torcida, o maior bem e verdadeira solução dos clubes contra crises/ Fonte: twitter de Botafogo

Na noite de segunda feira, 2 de dezembro, em razão do Projeto de Lei 5082/2016 aprovado na câmara, foi divulgada a convocação dos conselheiros do Botafogo para uma reunião a respeito da adesão ao projeto de tornar o departamento de futebol em S/A, tendo sua gestão separada do restante da gestão dos clubes. Embora tratada com entusiasmo pela mídia como a solução para clubes que se encontram com dificuldades financeiras, a realidade é mais delicada do que essa fantasia.
O primeiro ponto a ser discutido é a ilusão vendida de que o departamento de futebol seria gerido pelos banqueiros, irmãos Moreira Salles, e a partir disso seria injetado dinheiro no clube como se fosse uma caricatura do bilionário excêntrico que passa a investir em negócios de seu puro apreço pessoal. Pois bem, recentemente o ex-presidente do clube, Carlos Augusto Montenegro, veio a público declarar que em caso de adesão do Botafogo ao projeto de sociedade anônima, os irmãos Moreira Salles não ocupariam qualquer cargo de direção, tendo apenas contribuído para traçarem um projeto de adesão do clube a esse modelo de gestão de futebol.
O segundo ponto é que a partir da adesão ao clube empresa, o Botafogo e os demais clubes que seguirem esse caminho, perderão seu caráter de instituições sem fins lucrativos e passarão a ter capital aberto e ações na bolsa, ou seja sujeitos a intempéries da especulação financeira(e justamente num momento de bolha explodindo!!). No Brasil, o modelo de clube empresa, há anos atrás, era vendido com o exemplo do Milan de Berlusconi, clube que recorrentemente aparecia entre os principais candidatos nas edições de Champions League, hoje esse mesmo clube empresa mal consegue se manter na serie A italiana, tendo sua força começado a se perder justamente a partir da crise de 2008, pois de lá pra cá só conquistou apenas um scudetto na temporada 2010-2011.
Outro ponto a ser destacado é a exclusividade de refinanciamento de dívidas apenas para clubes que aderirem ao projeto, algo que recentemente o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) classificou como imposição à adesão. E por fim, seguindo a esteira do golpe de 2016 e da farsa eleitoral de 2018, o projeto ainda apresenta reduções nos direitos trabalhistas dos futebolistas.
Sobre isso, há de se entender que o futebol é um bem do povo brasileiro, em especial dos torcedores, que não pode ficar sujeito aos arbítrios dos capitalistas que se promovem como solução, pois a massa é a única solução para vencer crises de clubes, vide a própria reta final do Botafogo em 2019 quando o clube perigava fortemente ao rebaixamento e imediatamente a torcida mostrou seu valor.