Privatização das ruas: PSDB entrega o Carnaval aos monopólios capitalistas

discursos pedetistas

A Prefeitura de São Paulo, do PSDB, mais uma vez, entrega o Carnaval de rua para os capitalistas. Apesar do Ministério da Fazenda ter lançado um manual com vinte itens elaborado pela Seprac (Secretaria de promoção da produtividade) em que é recomendada a exclusão do monopólio de fornecimento, as empresas terão exclusividade na comercialização de produtos, como cerveja.

A Prefeitura fará o credenciamento para que os ambulantes vendam produtos apenas na logomarca do patrocinador. Tem-se a estimativa que serão 10 mil vendedores comercializando a mesma marca. Segunda a secretaria municipal de subprefeituras,  a estimativa de público é de 5 milhões de pessoas em 8 dias com uma média de 645 blocos. Os supermercadistas estão confiantes com o próximo ano.

O Carnaval de rua sempre foi uma das expressões mais importantes da cultura popular brasileira. Assim como o futebol, mobiliza os trabalhadores. Porém, o Estado, a partir de atitudes como esta, mostra a sua preocupação em controlar, reprimir e entregar estes eventos populares para a iniciativa privada. Essa política tucana nada mais é do que o avanço dos golpistas sobre a cultura popular.