Espanha
A prisão do rapper Pablo Hasél, na terça-feira (16), por insultos à monarquia e à polícia, causou uma série de protestos e confrontos nas ruas em diversas cidades da Catalunha.
A protesters clashes with Catalan regional police forces Mossos d'Esquadra following a demonstration against the imprisonment of Spanish rapper Pablo Hasel in Barcelona on February 20, 2021. - Yesterday four more people were arrested following another night of violent protests over the jailing of a rapper for controversial tweets, police said today. It was the fourth straight night that demonstrators had taken to the streets, although yesterday protests only occurred in the northeastern region of Catalonia. (Photo by Josep LAGO / AFP) (Photo by JOSEP LAGO/AFP via Getty Images)
Forte repressão pela polícia catalã | Reprodução
A protesters clashes with Catalan regional police forces Mossos d'Esquadra following a demonstration against the imprisonment of Spanish rapper Pablo Hasel in Barcelona on February 20, 2021. - Yesterday four more people were arrested following another night of violent protests over the jailing of a rapper for controversial tweets, police said today. It was the fourth straight night that demonstrators had taken to the streets, although yesterday protests only occurred in the northeastern region of Catalonia. (Photo by Josep LAGO / AFP) (Photo by JOSEP LAGO/AFP via Getty Images)
Forte repressão pela polícia catalã | Reprodução

Neste sábado (20), quatro pessoas foram detidas na Catalunha na 4ª noite de protestos contra a prisão do rapper espanhol Pablo Hasél. Conforme o porta-voz da polícia, duas pessoas foram detidas em Barcelona e duas na cidade catalã de Girona.

Os manifestantes entraram em confronto com a polícia. Oito policiais ficaram feridos e, de acordo com fontes médicas, seis outras pessoas também. Os enfrentamentos explodiram na noite de terça-feira (16), quando o rapper de 32 anos foi condenado a passar nove meses preso por ter publicado no Twitter conteúdo que foi considerado ofensivo à monarquia e à polícia.

Protestos aconteceram no domingo (21), porém não há registro de confronto. Manifestantes gritavam “liberdade para Pablo Hasél”. Até o momento, cerca de cem pessoas foram detidas pelas forças de repressão.

O regime político imperialista se encontra em crise, por isso tenta calar à força todo tipo de oposição. Formalmente, a Espanha é um país “democrático”. Na verdade, trata-se de uma ditadura de tipo medieval, que submete povos inteiros  – galegos, bascos, catalães – pela força militar. A prisão de um rapper pelo conteúdo político de suas músicas é um ato flagrante de censura, cerceamento da liberdade de expressão, o que demonstra o grau de decadência do regime.

A questão do separatismo catalão é um fator de permanente crise no regime político espanhol. Há alguns anos atrás, o Parlamento Catalão proclamou a independência da Espanha. Em seguida, o governo central, sediado em Madrid, enviou tropas para a região e prendeu os líderes separatistas catalães. Circularam nas redes sociais fotos e vídeos da brutal repressão à população no referendo sobre a independência.

A existência da monarquia é um anacronismo, expressão do caráter antidemocrático do regime. O ex-ditador fascista Franco foi quem restaurou a monarquia, que havia sido derrubada pelo movimento revolucionário na década de 1930. A condenação do rapper é uma maneira das forças reacionárias que controlam o regime tentarem se blindar e intimidar os críticos.

As manifestações geraram uma crise na coalizão governamental entre o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e o Podemos. Este último, que se colocava como uma esquerda radical antissistema, terminou por se coligar com um partido de esquerda adaptado ao regime político imperialista, como o PSOE.

Conforme a crise do regime imperialista se acentua, este acentua suas características ditatoriais. Em todo o mundo, os governos buscam implementar políticas de censura e cassação de direitos.

Relacionadas
Send this to a friend