O LP “Freak Out!” saiu em 1966
“Freak Out!” foi a estreia de Frank Zappa e seu Mothers Of Inventions. O álbum era um retrato de sua época, discutindo temas como os protestos de Watts e a sociedade de consumo
Frank Zappa - Hot Rats sessions Bill Gubbins
Frank Zappa durante as sessões de gravação do album "Hot Rats" em 1969 | Foto: Bill Gubbins

Em 27 de junho de 1966 foi lançado o LP “Freak Out!”, o álbum de estreia de Frank Zappa e seu grupo The Mothers Of Invention. Foi o debut de um dos mais extraordinários músicos de todos os tempos, autor de mais de 60 álbuns que revolucionariam a música com sua mistura inédita de rock, pop, doo wop, jazz, blues, vanguarda e música concreta, dissolvendo as fronteiras entre a música popular e a erudita.

“Freak Out!” era o perfeito retrato da sociedade americana em meados dos anos 60 representado pela cidade de Los Angeles. A cidade, então, começava a ser um dos palcos do movimento de contracultura conhecido como movimento hippie, uma cena que depois daria origem a grupos como os Doors e o Buffalo Springfield. Era também uma cidade repleta de tensão racial, com uma política de segregação que vinha do início do século XX, algo que fez com que a maioria dos negros tivesse que morar em guetos como o Distrito de Watts.

Outro tema presente no disco é a crítica ao sistema educacional americano (na canção “Hungry Freaks, Daddy”).

O impacto de “Freak Out!” no mundo da música foi tremendo. Paul McCartney ficou tão impressionado com o disco que ele se tornou a inspiração para o trabalho seguinte dos Beatles, o LP “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”.

Frank Zappa

Frank Vincent Zappa nasceu em 1940 em Baltimore em uma família de imigrantes italianos. O pai de Frank era um químico e matemático que trabalhou na indústria bélica. Um dos locais onde ele trabalhou era o Edgewood Arsenal Chemical Warfare, que fabricava armas químicas. Como a família morava perto do local havia máscaras por toda a casa. Este fato causou uma profunda impressão no jovem Frank que ao longo de sua carreira escreveu várias músicas com referencias a germes, guerra bacteriológica e a indústria da guerra. Na infância sofreu de asma, dores nos ouvidos e sinusite, o que ele acredita ter sido causada pela sua exposição ao gás mostarda.

Zappa foi um músico autodidata. Tudo o que ele aprendeu foi através dos livros e pela audição de seus músicos favoritos. Logo desenvolveu o gosto pelo R&B (Guitar Slim, Johnny Guitar Watson), doo-wop (The Channels) e a música erudita como o modernismo (Igor Stravinsky, Anton Webern) e o som vanguardista de Edgard Varese. Por volta de 1959 ele já era um compositor e arranjador de vasta cultura, alem de atuar como maestro na orquestra da escola, regendo peças avant-garde.

O Mothers Of Invention foi formado em 1965. Alem de Frank (voz e guitarra) estavam Jimmy Carl Black (bateria, vocais), Ray Collins (voz, harmonica, percussão), Roy Estrada (baixo) e Elliot Ingber (guitarra). A banda causou sensação na cena de Los Angeles, atraindo a atenção do famoso produtor Tom Wilson que os contratou para a gravadora MGM após ouvir apenas uma música, “Trouble Every Day”.

O LP que o grupo gravou trouxe peças de vanguarda como “The Return Of The Son Of Monster Magnet” e a suite em tres partes “Help, I’m A Rock”, alem de canções curtas que misturavam vários estilos. Mas o destaque mesmo era “Trouble Every Day”, que retratou os conflitos raciais em Watts.

Tumultos de Watts

“Trouble Every Day” foi escrita por Frank Zappa após assistir as notícias sobre os Tumultos de Watts, uma série de eventos que aconteceram no distrito de Watts em Los Angeles de 11 a 16 de agosto de 1965.

Na noite do dia 11 de agosto, Marquette Frye, um motorista negro, foi parado pelo policial rodoviário Lee Minikus por estar alegadamente dirigindo de maneira perigosa. Após uma discussão acalorada Minikus deu voz de prisão a Frye e ordenou que seu carro fosse rebocado. O irmão de Frye, Ronald, tambem estava no carro, correu para sua casa e trouxe sua mãe, Rena Price, para onde Marquette estava sendo preso.

Quando Rena Price chegou vários policiais de apoio tentavam prender Frye usando força física para dominá-lo. À medida que a situação se desenvolvia multidões de moradores locais observando o evento começaram a gritar e jogar objetos nos policiais. Rena Price e Ronald acabaram sendo presos junto com Marquette Frye.

Watts se situa no sul de Los Angeles, uma área historicamente composta por negros de baixa renda, muitos que migraram dos estados do sul como Texas, Arkansas e Florida, fugindo da segregação racial. Só que Los Angeles era uma cidade com leis que restringiam certas minorias raciais de alugarem ou comprarem casas em determinadas áreas. Desse modo muitos negros tiveram que se instalar em locais como Watts, bairros com pouca infraestrutura, escola de qualidade ruim e poucas oportunidades de um bom emprego. A polícia local (LAPD) tambem colaborava com uma política de repressão e discriminação, ingredientes certos para a tensão social.

Para conter a revolta da população o chefe da polícia chamou a Guarda Nacional do exercito da Califórnia. Foram trazidos 16.000 guardas para se juntar à polícia local, o que transformou Watts e vários outras áreas em uma zona de guerra. Foi instaurado toque de recolher após a população começar a atacar os guardas e queimar carros e lojas. O resultado final foram 34 mortes, 1032 pessoas feridas e 3438 pessoas presas.

Watts não foi um episódio isolado. Muitas outras manifestações ocorreram ao longo dos anos 60, sempre com intensa repressão policial. Pode-se traçar um paralelo entre o que ocorreu em Watts com os eventos que presenciamos nos dias de hoje quando vemos as consequências do assassinato de George Floyd pela polícia de Minneapolis ocorrido no último dia 25 de maio e os protestos que se espalharam por todo o mundo.

Los Angeles voltou a ter enormes manifestações em 1992 nos chamados Distúrbios de Los Angeles, novamente com enorme contingente policial para reprimir a população negra e desta vez também a hispânica.

Zappa, o iconoclasta

“Freak Out!” representou o primeiro passo da carreira de Zappa, que ao longo de sua carreira irritaria pessoas de todos os espectros, os da direita e os da esquerda. Foi um defensor feroz do direito de expressão. Em 1985 houve um movimento expressivo da direita pela censura a todos os discos que tivessem conteúdo sexual ou “satânico”. Essa cruzada moralista foi liderada por Tipper Gore, esposa do então senador Al Gore.

Na questão das drogas Frank Zappa se opunha a seu uso, mas era um apoiador da sua completa descriminalização.

Ele faleceu em 4 de dezembro de 1993 após uma longa batalha contra o câncer de próstata.

Relacionadas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments