Militares não são nacionalistas: General-ministro da defesa está junto com Temer na reforma da previdência
Militares não são nacionalistas: General-ministro da defesa está junto com Temer na reforma da previdência

Em entrevista ao jornal golpista Correio Braziliense, o general Joaquim Silva e Luna, atual ministro da Defesa, deixou escapar que é a favor dos ataques do governo golpista de Temer à aposentadoria dos trabalhadores.

Ao ser perguntado pelo jornalista se os militares não temem ser usados politicamente,  o general golpista foi categórico dizendo que não. Completou afirmando que a “reforma” da Previdência é uma prioridade, mas a segurança pública também, e que o governo Temer está preocupado com a segurança pública no Brasil.

Tirando o fato de que é motivo para riso afirmar que o golpista Michel Temer, já denunciado como agente americano no Brasil, teria alguma preocupação com os brasileiros, a declaração do general passa uma informação importante para quem acha que os militares teriam um programa diferente do governo golpista civil.

O primeiro militar da recente história do Brasil que comanda o ministério da Defesa, alinhando a intervenção militar no Rio de Janeiro e todos os planos das Forças Armadas no país contra o povo, como a GLO (Garantias da Lei e da Ordem), é a favor das medidas golpistas desse governo.

A medida mais contraditória no governo golpista, que é  a “reforma” da Previdência tanto exigida pelos  donos do golpe, Rede Globo, Bancos e o Imperialismo também é prioridade para os militares.

Isso significa que se os militares avançarem mais no controle do regime, seja por meio do governo golpista de Michel Temer, ou se constituírem em um governo militar, as medidas golpistas contra o povo, como o ataque a aposentadoria dos trabalhadores voltarão em carga máxima.