Campo de concentração
Em São Bernardo presos estão sendo condenados a morte, por fome e risco ao Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Presos entulhados (1)
Governo quer aumentar a mortandade do Covid nas penitenciárias e CDps deixando presos passarem fome | brasildefato.com.br

Em São Bernardo (SP), familiares de detentos que cumprem penas ou aguardam julgamento no CDP (Centro de Detenção Provisória) receberam denúncias de seus maridos, por meio de cartas, que a quantidade de alimentação ofertada aos presos, entregue diariamente diminuiu desde o início da quarentena, tendo presos que guardam o pouco ofertado no almoço, para juntar com o que será entregue na janta e sentir que se alimentou melhor. E toda essa situação se deu após a suspensão das visitas presenciais, em razão da pandemia de Covid-19. Os próprios alimentos e itens de higiene pessoal enviados pelos Correios, tem sido entregues incompletos.

No entanto, com o fascismo agora querendo impor a fome para os presidiários, o que os tornará em razão da deficiência nutricional, mais vulneráveis à várias doenças infecciosas, inclusive o Covid 19. Outra denuncia que mostra que está em marcha pena de morte nas detenções do país e no CDP São Bernardo é que sequer medicamentos as famílias estão podendo enviar.

A carceragem barra os medicamentos e diz que só entra medicamentos com receita médica, ocorre que em meio à pandemia, além do risco de contaminação nas visitas aos postos de saúde para passarem em médicos e conseguirem a receita para seus maridos, mulheres, esposas e mães são expostas a filas intermináveis para poderem ser atendidas.

Em meio a pandemia que assola o país e que já foi denunciado por este diário, os presos, confinados as dezenas em cada cela, são alvos fáceis do Covid 19 e os presos que não oferecem perigo deveriam ser libertados imediatamente.

Outro abuso neste período de pandemia é que presos e familiares sequer podem ter privacidade nos poucos momentos semanais em que visitas virtuais são concedidas, pois com a pandemia foram proibidas quais quer visitas presenciais. Com a suspensão os contatos são apenas pela internet. No entanto, a comunicação entre o preso e seus familiares é realizada na presença de funcionários, o que impede e constrange, familiares e presos a exporem o que de fato estão passando e, no caso dos presos não denunciam virtualmente a situação de fome em razão de medo de represálias até mesmo a suas famílias se estas denunciarem.

Com tal vigilância já há casos no qual o preso perguntava para a mãe sobre a situação dos seus irmãos que há muito não via e o carcereiro o denunciou como se estivesse passando informações para facções criminosas.
A detenção é uma determinação da justiça e nela não está colocada a pena de morte, que na prática é disso que se trata, tamanho abuso contra os presos do CDP São Bernardo.

É preciso barrar esse genocídio em massa dos presídios, exigir condições mínimas de habitação, desmantelar esse ambiente infernal, acabar com a superlotação. Manter os presos nessas circunstâncias não passa de um método fascista que precisa ser combatido com todos os esforços necessários.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas