Preso ilegalmente, Lula tem todos seus direitos cassados pela justiça golpista

BRAZIL-POLITICS-LULA

O ex-presidente Lula continua preso de maneira ilegal pelos golpistas. Todos seus direitos estão sendo cassados. A Justiça Federal do Paraná rejeitou o pedido do operário de ir para o velório de seu amigo íntimo e ex-deputado do PT, Sigmaringa Seixas.

Um arbitrariedade. Primeiro começando pelo fato da própria prisão do metalúrgico. Lula, além de ter sido vítima de um processo fraudulento, não pode ser considerado condenado nem pela própria constituição brasileira, que garante, em seu artigo 5º, “que ninguém será considerado culpado antes do trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.

Estando Lula condenado em 2ª instância, sua prisão é totalmente ilegal, pois não se esgotaram todos os recursos. Portanto, Lula não deveria nem estar preso, para início de conversa. Porém, o impedimento de ver seu amigo íntimo não o único fato que revela a ditadura que os golpistas estão exercendo contra o ex-presidente Lula. Mas revela como os presos brasileiros são desprovidos de qualquer direito.

A maior parte da população brasileira, além de haver tido um julgamento arbitrário, assim como o próprio Lula, são enjaulados em celas onde não há nenhum tipo de condições para a habitação humana. E sem em entrar em detalhes sobres os abusos policiais, a qualidade de comida, da infraestrutura e assim por diante, a decisão da justiça paranaense revela que a política da direita para os presos é mesquinha; nenhum tratamento humano é permitido.

Isso pode parecer menos importante diante de todos os absurdos cometidos contra o ex-presidente Lula. A justiça paranaense, inclusive, proibiu, na semana passada, que Lula recebesse de sua família uma ceia especial para o Natal. Isto é, o preso não tem direito nem a festejar o Natal.

Mas voltando sobre a decisão contra Lula. O que foi cometido não é uma arbitrariedade menor. Muito pelo contrário, expressa o aprofundamento e o tamanho da ditadura dos golpistas contra a população. O que foi feito não ocorreu nem na época da ditadura militar, já que em 1980, quando Lula foi preso por liderar as greves operárias do ABC, a Polícia Federal liberou o metalúrgico para ir ao velório de sua mãe.

O fato, todavia, revela um grande medo da direita de relacionar Lula com outras pessoas. O caráter instável do regime golpista colocou qualquer ação do ex-presidente, político mais popular do país, por mais passiva que seja, como uma ameaça aos ataques da burguesia contra a população.

Por isso, é preciso mobilizar toda a população para participar do ato pela liberdade de Lula, convocado pelos comitês de luta contra o golpe e o Partido da Causa Operária (PCO) no dia 31 de dezembro.

Todos ao Réveillon Vermelho!
Liberdade para Lula!